Renata Florindo
Renata Florindo
PUBLICIDADE
Imagem Mônica Nobrega
Colunista
Mônica Nobrega
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Paris, Olimpíada e Ladybug

Estou decidida a ir à capital francesa nos próximos Jogos e já montei um roteiro para fazer com ele

Mônica Nobrega, O Estado de S.Paulo

24 de agosto de 2021 | 03h00

Estou decidida a ir a Paris para os próximos Jogos Olímpicos. Sim, escrevo embalada pela empolgação de Tóquio - hoje, está começando a Paralimpíada, ainda tem muita torcida e medalha pela frente. Meu filho também se apaixonou pela Olimpíada e, além disso, tem especial interesse na capital francesa por causa da série de animação infanto-juvenil Miraculous. Exibida em canais de streaming e TV a cabo, conta a história de Ladybug e Cat Noir, uma garota e um garoto adolescentes que salvam Paris diariamente, enfrentando vilões em meio aos pontos mais turísticos.

A capital francesa é uma velha conhecida com quem mantenho uma relação de respeito sem amor. Quando vou, me divirto. Ao ir embora, não sinto saudade. Mas vai ser uma delícia viver as emoções esportivas que virão em 2024 e ver Paris pelos olhos do meu menino. Claro que já estou pensando no que vou querer mostrar a ele. Por enquanto, meu roteiro é o seguinte.

Torre Eiffel

Perdão pela obviedade, mas se nem a Ladybug fica indiferente ao principal monumento da cidade, não sou eu que vou fazer cara de blasé. Até porque subir lá no alto é uma delícia. Compre online para evitar fila. Aos pés da torre, o piquenique no Campo de Marte é um clássico do turismo em Paris - é nesse parque público que a quadra do vôlei de praia será montada nos Jogos de 2024. 

Bicicleta

Paris é uma cidade bastante plana e os incentivos ao uso de bicicleta vinham sendo intensificados, mas aumentaram mais ainda na pandemia. Estou de olho em uma rota sugerida pelo site oficial da cidade que começa no Arco do Triunfo e segue em direção à Basílica de Sacré Coeur, onde quero mostrar ao meu filho, que ama desenhar, os pintores de rua e as lojas de histórias em quadrinhos do bairro de Montmartre.

Centro Pompidou

É o Museu Nacional de Arte Moderna e considero seu acervo dos séculos 20 e 21 o mais legal para crianças e adolescentes em Paris. O prédio é a obra-prima do premiado arquiteto italiano Renzo Piano, com metal, transparências, escadas externas e cores. 

Parques Disney

São dois, Disneyland, mais clássico e adequado às crianças pequenas, e Walt Disney Studios, inspirado no cinema. Ficam às portas da estação Marne-la-Vallée/Chessy, a 40 minutos de trem do centro de Paris. 

Piscina

A estilosa piscina pública Josephine Baker, ao ar livre, no 13º Arrondissement, fica em uma plataforma sobre o Rio Sena. É um programa baratinho: 6,50 euros para adulto e 3,20 para criança, com direito a uma permanência de 2h30. Reserva é obrigatória no site piscine-baker.fr (vá em “réservation” e escolha a opção “baignade”). Josephine, icônica dançarina e atriz que empresta o nome à piscina, foi também ativista contra o racismo e o nazismo, bons temas para conversas com filhos. 

Se quiser aproveitar já alguma das sugestões, é importante saber que a França está exigindo comprovante de vacinação completa. No meu caso, que vou na Olimpíada e terei tomado quantas doses de vacinas a ciência considerar necessárias até lá, a maior torcida é para que as deusas do câmbio favorável ajudem, baixando esse euro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

PUBLICIDADE

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.