Les Arts Décoratifs/Divulgação
Les Arts Décoratifs/Divulgação

Paris vista por criativos olhos brasileiros

Seus inquietos traços impressionam e atiçam a curiosidade até mesmo em uma cidade tão aberta ao novo quanto Paris. Fernando e Humberto Campana vêm testando seu estilo criativo em ambientes públicos variados da Cidade Luz, pouco a pouco familiarizando - e conquistando - os parisienses àquela brasilidade tão recorrente em suas obras. Prova disso é que os irmãos estão em cartaz na capital, promovendo sua primeira mostra individual em um museu legitimamente francês. Sem falar em outros espaços emblemáticos, como o tradicional Hotel Lutetia e o icônico Museu D'Orsay.

BRUNA TIUSSU, O Estado de S.Paulo

13 Novembro 2012 | 02h10

Instalada no Les Arts Décoratifs (ingresso a 9,50 ou R$ 24), a exibição Les Frères Campana: Barroco Rococó abriga, até 24 de fevereiro, um cardápio recheado para se aprofundar nas obras dos artistas que, para muitos franceses, são os grandes representantes do design brasileiro atual.

Ali, eles criaram uma cenografia de fibra de coco enfeitada com candelabros de bronze adornados com peles e bambu. Também levaram peças inspiradas no barroco brasileiro e uma coleção que presta homenagem a Roma - a dupla passou meses na capital italiana produzindo objetos para a exposição.

Parcerias. Criações dos Campanas também estão presentes no elegante Hotel Lutetia. A exemplo de ninguém menos que o cineasta David Linch, que tivera ali um espaço à disposição de sua criatividade, os brasileiros foram chamados a um trabalho similar.

E assim nasceu a suíte Campana no Lutetia, inaugurada em setembro. É o mais novo espaço permanente da capital a contar com as ousadas ideias da dupla. E está disponível para qualquer viajante disposto a desembolsar os 1.500 (R$ 3.047) cobrados pela diária no palacete do bairro de Saint-Germain-des-Prés.

Como de costume, os irmãos foram buscar nas raízes do Brasil sua inspiração. Fauna, flora e a mestiçagem do País foram levados em conta na decoração, sempre em um esforço de mesclar tais características com a atmosfera tradicional do hotel.

O verde e o marrom predominam no ambiente que, apesar de se manter clássico, ganhou atmosfera contemporânea. O destaque é o tapete com formas circulares, que cobre todo o chão e se prolonga pela parede, criando um esboço de cabeceira. Outras peças do mobiliário foram customizadas para combinar com o estilo dos artistas e, muitas delas, feitas a partir de elementos com referência orgânica, caso das cadeiras compostas por 400 pedaços de couro de diferentes texturas e das luminárias em formato de cogumelos.

A parceria com o Lutetia começou quando Fernando e Humberto estavam na cidade para realizar outro trabalho. Em 2009, quando o Museu D'Orsay passou por reforma completa, foram convidados a comandar a restauração do seu Café de l'Horloge. Hoje, o ambiente reúne soluções pouco convencionais no melhor estilo Campana, por isso é o mais lembrado em Paris quando o assunto é a arte dos brasileiros.

Nas mãos da dupla, o espaço deu adeus a seu ar de bistrô: saíram os veludos vermelhos, carpetes bordô, móveis de mogno. Inspirados na art nouveau e no livro Vinte Mil Léguas Submarinas, de Júlio Verne, os designers incorporaram uma atmosfera marítima ao ambiente, com enorme painel espelhado, divisórias emaranhadas de metal e fios metálicos disformes. Abajures dourados fazem alusão às conchas do mar e plantas aquáticas estão representadas nas cadeiras de poliuretano azul-celeste.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.