Daniel Gonzales/Estadão
Daniel Gonzales/Estadão

Park City: pistas para todos os gostos

O básico para se divertir na maior área esquiável dos Estados Unidos, com 2.954 hectares

Daniel Gonzales, O Estado de S. Paulo

24 Janeiro 2017 | 04h30

PARK CITY - A temporada de esqui em Park City Mountain Resort mal começou: a expectativa é que dê para deslizar pelas 17 montanhas da estação até meados de abril. Foi ali, em meio a uma neve convidativa, que dei meus primeiros passos no esqui, amparado por instrutores experientes e cheios de dicas para que, ao fim do dia, você consiga se divertir por conta própria nas pistas para iniciantes. 

Como as turmas são pequenas, de no máximo cinco alunos, os professores – muitos deles, bilíngues – conseguem dar uma atenção especial a cada um. Para quem ainda não tem muita habilidade, o melhor é alugar os equipamentos nas lojas localizadas na base das pistas. Os funcionários, bastante atenciosos, orientam sobre a escolha de botas, esquis e também dos trajes. Em média, você gasta cerca de US$ 30 ao dia pelos esquis e US$ 11 pelas roupas impermeáveis.

Para quem ainda está se equilibrando (ou não) sobre os esquis, as pistas laranjas são planas e suaves. Quem tem mais habilidade se diverte mais, usando os teleféricos e gôndolas para chegar nos pontos mais altos, e curtindo os bares e restaurantes de montanha. 

Um deles é o Miners Camp Restaurant, um aconchegante refúgio de montanha para esquiadores fazerem uma pausa ao longo do dia. Ele foi inaugurado há um ano, juntamente com a gôndola Quicksilver, que passou a ligar Park City Mountain Resorts com Canyons Village e transformou a região na maior área esquiável dos Estados Unidos, com 2.954 hectares.

Passes. Além dos equipamentos, há outro item fundamental para um esquiador: os passes que dão acesso às estações. Se você quiser circular entre Park City e Deer Valley, o Trip, voltado apenas para turistas internacionais, pode ser comprado antes ou durante a viagem, no site das estações ou em operadoras de turismo. Depois, é só retirar os vouchers nas estações e trocá-los por bilhetes de acesso ilimitado. 

No meu caso, minha habilidade com os esquis não me levou a pistas muito desafiadoras, mas me diverti. Até mesmo na hora dos tombos: como os resorts estão sempre movimentados, há muita gente disposta a ajudar. Afinal, para um iniciante como eu, se levantar sozinho é um desafio quase tão grande quanto manter o equilíbrio sobre os esquis. 

 

O QUE LEVAR

Cabeça. Gorro é fundamental, tanto para esquiar como para sair à noite. Um acessório útil é a peça que pode se transformar em protetor para o pescoço, para o rosto e gorro, a depender da necessidade do turista. Óculos de sol ou goggles para neve são obrigatórios.

Corpo. As temperaturas podem ser negativas, mas quando o sol bater sobre a montanha durante a prática esportiva, você vai sentir calor. Por isso, é importante se vestir em camadas: camiseta dry fit por baixo, fleece, uma boa jaqueta impermeável para neve por cima.  

 

Pés e mãos. Os pés devem estar bem aquecidos. Meias térmicas, próprias para neve, são grandes amigas dos esquiadores. Além das botas de esqui, uma bota de trekking impermeável ou galocha vai ajudá-lo a não escorregar no gelo das ruas. Nas mãos, use luvas impermeáveis; deixe aquela de couro ou lã para a noite. 

Na pele. Protetor solar, protetor labial, hidratante: use sem moderação.

Mais conteúdo sobre:
UtahEsquiSnowboardViagem

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.