Cleiton Thiele/SerraPress
Cleiton Thiele/SerraPress

Páscoa, 1.º de abril

Três dias de folga

O Estado de S.Paulo

09 Janeiro 2018 | 04h50

Família

Gramado e Canela

Quem já foi a Gramado e Canela, vizinhas na Serra Gaúcha, sabe: se deliciar com as muitas opções de chocolateria é uma de suas principais experiências. Na Páscoa, portanto, não poderia ser diferente. Ambas têm programação especial para a família entre março e abril, incluindo espetáculos religiosos e infantis, decoração nas ruas e avenidas, paradas com personagens e até workshops gastronômicos – que envolvem chocolate, claro. Há também as fábricas, que abrem as portas para visitas guiadas o ano todo, além de oferecerem produtos de chocolate de variados tamanhos, formas e preços. Uma delas, a Lugano, mantém um museu de esculturas de chocolate em tamanho real – imagine a Muralha da China ou a Torre Eiffel de cacau. Lá tem.

Turísticas o ano todo, porém, tanto Gramado quanto Canela contam com atrativos que vão além do chocolate. Há dezenas de museus (de carro, da moda, de miniaturas...); há parques de diversão, incluindo o de neve indoor Snowland; bons restaurantes. Mas atenção: leve em conta que, assim como no Natal, as atrações e ruas ficam lotadas (sobretudo em Gramado), e as diárias, mais caras. 

Sozinho 

Buenos Aires

É de se esperar que feriados como o da Páscoa, celebrados internacionalmente, façam com que o domingo seja mais parado até em capitais como Buenos Aires, sempre vibrante. Considere, porém, que este será o dia da volta, atrapalhando menos sua viagem – e, se tiver tempo e afinidade com o futebol, lembre que o campeonato argentino estará a todo vapor, mesmo no domingo de Páscoa. Para quem viaja sozinho, é um destino acolhedor, seja pela diversidade de atividades que oferece, pela proximidade da língua e da cultura, ou porque, como uma boa cidade cosmopolita, preserva gente disposta a encontros em diferentes partes. 

Para não errar: circule pelo bairro boêmio de San Telmo ou por La Boca para encontrar diversão. Em abril, as temperaturas são mais amenas e, mesmo com chuva, há o que se fazer para além de seus parques e praças. Além disso, está pertinho de São Paulo – são cerca de 3 horas de voo – e com passagens e hospedagens a preços vantajosos.

Casal

Florianópolis 

Especialistas em viagem, como Ricardo Freire, do site Viaje na Viagem, dizem que o melhor momento para ir a Florianópolis é a Páscoa. Esta é a época que a capital catarinense já não está cheia quanto nos meses anteriores, mantendo ainda temperaturas agradáveis e menos chuvas. Ou seja: dá para aproveitar suas 42 praias, e, por consequência, pagando mais barato e se livrando do trânsito chato da alta temporada. Suas areias paradisíacas, onde só se chega por trilhas ou barco, dão o tom de uma viagem pé na areia e romântica. Entre elas, a Ilha do Campeche, a Praia da Galheta (de nudismo) e da Lagoinha. Isso sem falar nos mirantes e na parada na Lagoa da Conceição, cartão-postal da cidade. 

Grupo

Chapada Diamantina

Sua quantidade de atrativos naturais é tão grande que será preciso focar naquilo que mais se quer ver entre cachoeiras, grutas, trilhas, mirantes, piscinas represadas naturalmente e inscrições rupestres. Entretanto, se você nunca foi, é uma ótima forma de descobrir se curte o lugar, que, em abril, tem menos chuvas e quedas d’águas com volume. Lençóis é a cidade onde a maior parte dos turistas se hospeda, com restaurantes e bares, e onde é fácil encontrar agências para fechar os passeios. Considere que, para chegar até lá saindo de São Paulo, o melhor é ir de avião até Belo Horizonte e voar de lá para Lençóis - a viagem é operada pela Azul e dura entre 7 e 8 horas, contando o tempo de conexão. Algumas operadoras fazem pacotes com voos fretados em feriados.

 

Mais conteúdo sobre:
feriado Páscoa

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.