Fabiana Caso
Fabiana Caso

Passado e presente

Enquanto muitos endereços famosos se transformaram radicalmente, a loja Rough Trade é para quem consome música e livros da maneira analógica

Fabiana Caso, O Estado de S.Paulo

20 Junho 2017 | 04h30

Durante a efervescência do final dos anos 1960 e começo dos 1970, era fácil encontrar os seguidores e o próprio Warhol em um clube agitado, o Max’s Kansas City (213 Park Avenue), na região da Times Square, hoje uma loja de conveniência sem charme na pomposa avenida que guarda algo do nome dos idos boêmios: Fraiche Maxx. Houve época em que o então casal Patti Smith e Robert Mapplethorpe ia ali apenas para observar as pessoas que entravam, na falta de dinheiro para consumir.

Por outro lado, o notório Chelsea Hotel (222 West 23rd Street), construído no século 19, foi o local de residência não apenas de Smith e Mapplethorpe, mas de uma infinidade de escritores, músicos, poetas e atores ao longo de anos de histórias que se desenrolaram dentro de sua fachada algo vitoriana, de tijolos vermelhos esmaecidos com gradis de ferro aparentes nos terraços. De Bob Dylan a Leonard Cohen, passando por Allen Ginsberg e Gregory Corso, numa longa linhagem de artistas que inclui Arthur C. Clarke, que teria escrito 2001 – Uma Odisseia no Espaço (1968) por ali.

Palco de acalorados encontros artísticos, registrados em fotos célebres, o Chelsea também tem histórias trágicas. Como a da morte de Nancy Spungen, namorada de Sid Vicious que, em 1978, foi encontrada morta no banheiro do quarto número 100, onde eles viviam depois da separação dos Sex Pistols. 

É possível observar a fachada, suas colunas laterais e placas sobre ex-moradores ilustres, mas só. Desde 2011 o hotel está fechado para reformas. Mas planeja reabrir as portas até o fim do ano.

Imagine. Durante os efervescentes anos 1970, a fama da cidade como lugar quente da música se alastrou ainda mais quando Mick Jagger começou a passar longas temporadas na cidade. E especialmente quando John Lennon a adotou como casa. 

Atenção que a experiência pode ser comovente, mas para qualquer fã de Lennon vale visitar, do outro lado da cidade, no Upper West Side, o Strawberry Fields (mosaico onde se lê Imagine, dentro no Central Park). E, na sequência, ir até o vizinho edifício Dakota. Observe a imponência do prédio de arquitetura eclética, coberturas angulosas e seguranças uniformizados, que guardam a porta do prédio que onde viveram John, Yoko e o pequeno Sean. O edifício, o mais antigo da região, foi o cenário do assassinato do músico, em 8 de dezembro de 1980, por Mark Chapman. 

Para ouvir a música de todos esses ícones, visite a filial da loja de discos e selo britânico Rough Trade (roughtradenyc.com) em Williamsburg, no Brooklyn. Com amplo acervo de vinis, CDs e livros, o espaço faz a festa dos amantes de música. Além de comprar, dá para ver pocket shows e conferir lançamentos de livros de música com palestras. Veja a programação no site e torça para haver alguma apresentação acústica durante sua visita.

Mais conteúdo sobre:
Nova York

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.