Passeio família na Serra da Cantareira

Cachoeiras são a grande atração deste percurso de 3 quilômetros

Adriana Moreira, O Estado de S.Paulo

28 Outubro 2008 | 02h35

Inclua a família inteira neste passeio. Afinal, ninguém precisa ser aventureiro para cumprir as trilhas do Núcleo Engordador do Parque Estadual da Cantareira. Dos três percursos abertos ao público, o da Cachoeira, de nível médio, é o único a constar no passaporte da Secretaria do Meio Ambiente. Mesmo assim, não exige tanto fôlego do visitante - para quem está acostumado a caminhar, o trajeto é bem fácil. Em uma hora e meia você consegue concluir a trilha de três quilômetros. Mas gastará mais tempo para curtir o visual das três quedas d?água existentes por lá.Mais difícil é não se perder para chegar ao parque. Pela Rodovia Fernão Dias ou pela Avenida Coronel Sezefredo Fagundes, o motorista deve ficar atento para não passar da entrada, escondida em meio às casas de um loteamento irregular.Uma vez no parque, tudo é mais simples, com trilha larga e bem marcada. Em alguns pontos, florzinhas enfeitam o percurso. Vá sem pressa: árvores centenárias, como uma bela figueira, e um cedro rosa envolvido por um enorme cipó chamam a atenção. Os bugios estão sempre por ali e há grandes possibilidades de encontrar famílias inteiras. Ágeis, eles atravessam pelo alto da copa das árvores e é preciso atenção para vê-los.Há regras para aproveitar o que a natureza criou. Biquíni e sunga são proibidos, assim como subir nas pedras escorregadias das cachoeiras. "Temos medo de acidentes", explica o guarda-parque Adão Pereira Barbosa, de 55 anos, que há 9 trabalha no local. Concluída a trilha, carimbe o passaporte na portaria. Mas esse não precisa ser o fim do passeio. Passe na Casa da Bomba, de 1892, responsável por captar a água de nascentes e distribuir aos barões do café, na Avenida Paulista. Ou fazer outra caminhada. "A idéia do programa é estimular as pessoas a conhecer outras trilhas da região", explica Rafael Robles, da Secretaria do Meio Ambiente.Antes de ir embora, curta a bela vista da Represa do Engordador, hoje desativada. O nome é uma referência ao passado da região - o gado trazido de Minas ganhava peso por lá antes de ser vendido em São Paulo. Núcleo Engordador: km 79 da Rodovia Fernão Dias. Informações: (0--11) 2995-3254

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.