Washington Alves/Estadão
Washington Alves/Estadão

Passeios imperdíveis a partir de Brumadinho

Visual da serra, banho de cachoeira e até uma esticada à histórica Ouro Preto. Há muito para conhecer na cidade mineira

Murilo Busolin, Brumadinho

25 de janeiro de 2020 | 06h55

Brumadinho não se resume a Inhotim. E, se você é desses que não nega uma aventura, um restaurante diferente ou belas paisagens e quer contribuir para que o turismo local volte a crescer após a tragédia, abaixo estão passeios que todo turista precisa se programar para fazer quando estiver de passagem pela cidade mineira.

Ouro Preto

É a dica número 1 que qualquer morador de Brumadinho responde quando fazemos a clássica pergunta: “O que mais podemos fazer na região?”. A cidade universitária, a 107,4 quilômetros de distância, tem fama de “não parar nunca”. Possui atrativos para todos os gostos, de igrejas históricas com arquiteturas incríveis a restaurantes badalados, de bares tradicionais a feiras de artesanato. Tudo com muito charme.

Leve seu par de tênis mais confortável, muita disposição e hidratação, já que quase todo o turismo local é comumente feito a pé, pela proximidade de uma atração a outra. A opção de táxi sai muito mais salgada do que você pode imaginar.

A Praça Tiradentes, principal parada de turistas, é cercada de guias e lojas. Lá, você pode começar sua caminhada em busca dos principais pontos de Ouro Preto. Antes de começar seu tour, não deixe de entrar no Armazém Rural, na praça, para experimentar as diversificadas cervejas artesanais (R$ 12 a R$ 15).

Quer garantir aquela lembrancinha de viagem? Você pode garimpar as mais charmosas da região na feira de Pedra Sabão. Instalada em frente à Igreja São Francisco, na praça de mesmo nome, é um dos destinos mais buscados no centro da cidade. Esculturas e peças de artesanato e de decoração se destacam na feira, também conhecida pelas joias (anéis de prata legítima com pedras de cidades vizinhas na faixa de R$ 120).

Se estiver procurando um passeio tranquilo e em família, o Trem da Vale é a indicação perfeita. Leva os passageiros de Ouro Preto a Mariana em uma hora. O bilhete custa R$ 70 (ida e volta), em carro convencional. Para uma experiência ainda mais impactante, há a opção de carro panorâmico, por R$ 90, para apreciar a paisagem em torno da antiga ferrovia.

O Passo Pizza Jazz, na Rua São José, era o lugar mais indicado nas redes sociais para almoço ou jantar sem erro. Minha experiência confirmou que não dá para sair de Ouro Preto sem passar no famoso estabelecimento, com entradas de até R$ 45. Escolhi corniccioni pelati, uma massa de pizza assada com queijo tipo Grana, molho pomodori pelatti e alho torrado (R$ 24). Inesquecível.

Os pratos incluem massas e risotos, mas o foco é a pizza. Os preços vão de R$ 53 a R$ 87 (com frutos do mar). É importante ressaltar que os tamanhos são fartos, grande ou gigante. Escolhi meia alho poró com mascarpone e meia brie com parma. Sinto saudades até hoje.

Do alto da serra

Separe um fim de tarde de sua viagem para conhecer o Topo do Mundo, a 59,7 quilômetros de Brumadinho, no alto da estrada da Serra da Moeda. A partir das 17 horas, é garantido se deparar com uma das vistas mais bonitas da sua vida.

O acesso é gratuito, e você pode se arriscar voando de parapente. O custo é de R$ 350 por corajoso – é preciso agendamento prévio (parapentetopodomundo.com.br).

Pertence ao grupo de amantes de bons vinhos e queijos? Separe uma garrafa do seu favorito para apreciar o momento de calmaria. Você vai ver muitos grupos e casais que vão até lá com essa intenção, além das fotos para o Instagram. Não se esqueça de recolher todo o lixo que gerou, pois infelizmente é normal se deparar com restos de outros que passaram por lá.

O local também é conhecido pelo Horizontes, novo restaurante que serve entradas de até R$ 30, porções de até R$ 40 e pratos principais no valor de R$ 70.

Tranquilidade e gastronomia

Entre pousadas e chalés de Brumadinho se destaca A Mi Manera Bistrô – Pousada & Brewpub (Rua A Dois, 51). Localizada a 11 quilômetros do Centro, a casa está cercada por natureza. Funciona há mais de sete anos como bistrô, e há dois foi estruturada com o intuito de receber visitantes.

Primeiro lugar entre 140 restaurantes na cidade, segundo o site de avaliações TripAdvisor, o bistrô vale uma visita mesmo se você já está hospedado em outro lugar. A chef Yvine Lopes prepara os pratos em frente aos convidados, com uma pitada especial de alto astral. O cardápio é uma mistura equilibrada entre a culinária brasileira e a cozinha internacional, desenvolvido com base na vivência de Yvine na Europa e em Curaçao.

Experimentei e recomendo: as entradas camarão ao pil pil (R$ 60), panelinha de cogumelos (R$ 45) e gorgonzola ao mel parma e nozes (R$ 45). Entre os pratos principais, há risoto de shimeji, shitake e queijo brie (R$ 54), camarão ao creme de açafrão (R$ 65) e filezinho ao creme gorgonzola (R$ 54). A cereja do bolo dessa experiência é a cerveja artesanal feita na pousada, a Getto, uma strong ale com 7,5% de teor alcoólico (R$ 18).

Banho de cachoeira

Cerca de 150,8 quilômetros (2 horas e 49 minutos de carro) separam Brumadinho da região mineira conhecida pelas cachoeiras e belezas naturais. Para um percurso curto e tranquilo para tomar um banho e publicar belas fotos nas redes sociais, a opção mais indicada é a Serra do Cipó.

Fazendo uma trilha de um quilômetro, classificada como “nutella” pelos frequentadores, você tem acesso a quatro lugares diferentes, incluindo uma piscina natural e a grande cachoeira Véu da Noiva. O custo é de R$ 30 por pessoa para passar o dia no local, com opções e estrutura para quem deseja fazer acampamento. Detalhe importante: a água é extremamente gelada. Prepare-se!

Outro atrativos

As lembranças da tragédia em janeiro de 2019 ainda são vivas em Brumadinho. Além do impacto direto na população, o setor do turismo vive a maior crise que já conheceu. O turismólogo Pedro Henrique da Silva, que trabalha para a prefeitura, conta que o perfil do hóspede mudou. “A maior parte é de funcionários temporários de empresas terceirizadas envolvidas na reparação dos danos. Os turistas são a minoria”, explica.

Para reverter a situação, Brumadinho se esforça em mostrar que a cidade está segura. Logo após o acidente, fez uma campanha incentivando roteiros na região. Ainda este ano deve lançar materiais gráficos promocionais e totens informativos. “Tivemos muitos cancelamentos de reservas, destruição de pousada e fechamento de negócios por tempo indeterminado. Porém, ainda temos muitos pontos turísticos na região, como o Inhotim”, diz o turismólogo.

Além de ter o jardim botânico e o museu a céu aberto como atrativos, o instituto promove eventos para atrair público e novidades, como o festival MECAInhotim. Também são frequentes shows com artistas da cena independente e com cantores consagrados – Caetano Veloso, Jorge Ben Jor e Marisa Monte já passaram por lá. O Instituto Inhotim atua como o principal atrativo da região, mas a cidade aposta também em outros. Confira três deles abaixo:

Casa Branca

Localizado no entorno do Parque Estadual da Serra do Rola Moça, tem atividades de arvorismo, tirolesa, rapel, caminhadas ecológicas e visitas a mirantes.

Centro Histórico de Piedade do Paraopeba

A vila é um centro de romaria para devotos a Nossa Senhora da Piedade. Tem casarões coloniais, igrejas centenárias, alambiques e lojas de artesanato.

Sítio Histórico Quilombo do Sapé

É uma pequena localidade símbolo da cultura e memória afro-brasileira em Brumadinho. / Colaborou Anelise Zanoni, especial para o Estado

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.