Passo a passo da produção de um 'puro'

Trata-se de um ambiente de trabalho mas, por ali, todos fumam enquanto executam suas tarefas. "É para degustar as levas de folhas e manter a qualidade", justificam os operários da charutaria Don Lucas, em Punta Cana. Ainda que você não os aprecie, acompanhar o processo de produção dos "puros", como são chamados por lá, ajuda a entender porque são tão valorizados. Seis homens fazem o trabalho: preparam as folhas de tabaco, prensam, retiram os nervos onde há mais nicotina e moldam a forma cilíndrica - cada trabalhador produz cerca de 350 unidades por dia. Depois, os charutos seguem para os umidificadores, salas onde permanecem empilhados por 75 dias. E maturam por até 14 anos em espaços climatizados. Quanto mais envelhecido, mais forte e caro.

O Estado de S.Paulo

06 Março 2012 | 03h09

O tour termina, é claro, na loja, onde os "puros" custam de US$ 4 a US$ 90. Há degustação: vale experimentar um trago nem que seja para, entre tosse e risadas, concluir que nunca mais colocará outro na boca. /F.M.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.