Passos santos sobre um doce espelho d'água

Banho, passeio de barco e até balada no lago onde, segundo o 'Evangelho', Jesus teria caminhado

Luciana Alvarez, O Estado de S.Paulo

08 Dezembro 2009 | 02h23

"O barco estava já no meio do mar, açoitado pelas ondas. Mas, à quarta vigília da noite, dirigiu-se Jesus para eles, caminhando por cima do mar", narra o Evangelho de São Mateus. Ao chegar ao Mar da Galileia, no norte de Israel, o visitante descobre que essas mesmas águas sobre as quais Jesus teria caminhado pertencem não a um mar, mas a um grande e doce espelho d"água. Que, para os israelenses, tem o nome de Lago Tiberíades.

VEJA TAMBÉM:
Quatro mares na terra da fé
Em contato com a vida subaquática
Spa natural além do Deserto da Judeia
Banhar-se na água santa é a primeira providência de quem chega, claro. E também há passeios temáticos em barcos idênticos aos que os apóstolos usavam para pescar, há mais de 2 mil anos. A pesca ainda é atividade econômica importante para os moradores dos arredores.

Para além do lago, os ícones religiosos se espalham por toda a Galileia, região onde Cristo passou a maior parte de sua vida pública e onde nasceram 11 dos 12 apóstolos. No Monte das Beatitudes, em meio a uma silenciosa atmosfera de paz que se mantém mesmo durante a mais alta temporada turística, um templo simples foi construído no lugar onde teria sido proferido o Sermão da Montanha. Cercado por árvores e canteiros floridos, o monumento circular tem oito janelas - uma para cada bem-aventurança.

LUGARES SANTOS

Em Cafarnaum, principal cidade onde Jesus pregava e realizava milagres, as ruínas de uma antiga sinagoga e da casa do apóstolo Pedro lembram os passos que deram início à fé cristã. No santuário do Primado de Pedro, construído em 1933 por freis franciscanos em homenagem à pedra sobre a qual Jesus fundou a Igreja Católica, um delicado mosaico no piso forma o desenho de um peixe, o primeiro símbolo do cristianismo.

Para se conhecer Nazaré, endereço da infância de Jesus e do nascimento de seus pais, José e Maria, é preciso cruzar um posto de fronteira e passar para o lado palestino. Fica lá a Igreja da Anunciação, maior templo católico do Oriente Médio.

Todo esse clima de santidade, porém, não significa uma vida noturna sem graça. Em Tiberíades, a maior cidade da região, fazem bonito os restaurantes instalados em píeres com cardápios recheados de peixes. Para dançar, os barcos-boates fazem passeios noturnos pelo lago. Se a balada é inusitada, o som é bem familiar: a música brasileira está em alta.

RIO JORDÃO

Visita obrigatória no roteiro cristão, o Rio Jordão não passa de um modesto riacho na Galileia. O que não impede que milhares de pessoas sigam para lá todos os anos, para repetir o gesto feito por João Batista ao batizar Jesus naquelas águas.

É preciso agendar a cerimônia no Centro de Batismo de Yardenit, construído em 1998 para receber as levas de peregrinos que seguem todos os anos para o lugar. Já a visita simples, gratuita, pode ser feita a qualquer momento. O turista é autorizado a ir até uma plataforma para molhar apenas os pés.

É a irresistível loja de souvenirs localizada na entrada do lugar a responsável por sustentar a infraestrutura. Mas a melhor lembrança, pelo menos para os que têm fé, não custa nem um centavo: você pode levar para casa, em garrafinhas, um pouco da água do Rio Jordão.

EMOÇÃO EM ALTA

Milhares de peregrinos repetem todos os anos a cena do batismo de Jesus por João Batista nas águas do Rio Jordão. Não custa lembrar: o ritual precisa ser agendado no Centro Yardenit.

Mais conteúdo sobre:
Israel Ásia Oriente Médio

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.