Carla Miranda/AE
Carla Miranda/AE

Pequeno e notável trecho de litoral

Em apenas 138 quilômetros de orla estão espalhados corais, pontos para prática de esportes aquáticos e piscinas naturais

Daniel Gonzales, O Estado de S.Paulo

16 Fevereiro 2010 | 02h04

Basta levar na bagagem o espírito aventureiro e a vontade de se divertir. As belas praias forradas de coqueiros e o vento que sopra na medida já estão lá. As piscinas naturais, formadas por barreiras de coral, também. Quem curte esportes aquáticos ou quer se arriscar nas primeiras aulas de modalidades como kitesurfe e mergulho encontra cenários mais que favoráveis em João Pessoa.

E não é apenas para esse público que a capital paraibana, uma das menos populosas do Nordeste, revela seus encantos. Se você é do tipo tranquilo, que só pretende relaxar na areia, deve incluir a cidade (e as vizinhas) nos seus próximos planos de viagem. Como ter certeza? É só saber que uma brincadeira comum por lá é dizer que você certamente voltará à região - ou no próximo verão, para aproveitar o que não deu tempo de fazer, ou depois da aposentadoria, para morar.  

 

Selo-VeraoVeja também:

link Areia Vermelha vive no ritmo da maré

link Coqueirinho ou Tabatinga? Fique com ambas

link Tambaba, a preferida dos naturistas

As quatro praias urbanas de João Pessoa - Cabo Branco, Tambaú, Manaíra e Bessa - têm calçadões, barracas e feirinhas de comidas típicas e artesanato, além de espaço de sobra para caminhar e andar de bicicleta. E bem menos movimento de turistas que outras capitais nordestinas.

Também fica em João Pessoa o trecho mais oriental das Américas, a Ponta do Seixas, onde o sol nasce primeiro. E é por isso que convém acordar cedo para aproveitar bem o dia, que costuma terminar antes das 18 horas. Se seu objetivo for ter uma bela panorâmica do pontal, siga para o Mirante do Cabo Branco. Na descida, faça um pit stop numa bela (e recente, de 2008) obra de Oscar Niemeyer. Com algo de Pampulha e outro tanto do Museu de Arte Contemporânea de Niterói, a Estação Cabo Branco reúne ciência, arte e cultura, além de um ótimo setor de artesanato.

Quando o sol baixar no horizonte, aproveite ainda para conhecer o bem preservado centro histórico da capital, que na maioria das vezes é deixado para a próxima viagem - ou para aquele projeto de aposentadoria com o qual brincam os divertidos paraibanos...

No roteiro religioso não podem ficar de fora uma visita ao museu-convento de São Francisco e à Igreja de Nossa Senhora das Neves, padroeira da cidade. Se o tempo for curto, passe pelo Teatro Santa Rosa e encere o tour na varanda do antigo Hotel Globo - hoje consulado da Espanha - para um belo pôr do sol às margens do Rio Saruá.

KITESURFE

Em Cabedelo, ao norte da capital, ficam a deslumbrante Ilha de Areia Vermelha e a Praia do Jacaré, notória pelo pôr do sol (leia mais abaixo). Conde e Pitimbu, cidades vizinhas ao sul, poderiam disputar o título de costa mais bela do Estado. Tudo isso em um litoral que, da divisa com o Rio Grande do Norte ao limite com Pernambuco, tem apenas 138 quilômetros e pode ser percorrido de ponta a ponta em boas estradas, com acesso fácil a preciosidades como Coqueirinho, Barra do Gramame, Tabatinga e Tambaba.

As praias paraibanas só foram descobertas pelos praticantes de esportes aquáticos na década de 1990. E as primeiras escolas dessas modalidades são ainda mais novas. A The Hand Kitecenter (www.thehand.com.br), por exemplo, está há seis anos na Praia de Intermares, entre João Pessoa e Cabedelo, e é uma das pioneiras. Por lá são concorridas as aulas de wind e kitesurfe, modalidade em que o praticante "navega" sobre uma prancha impelido por um paraquedas, que infla com o vento.

Quem não sabe nada pode fazer o intensivão de cinco dias, por R$ 500. Ainda é possível testar uma aula avulsa (R$ 70). Todos os equipamentos necessários são alugados no local. E, por mais impossível que isso possa parecer à primeira vista, dá para encarar a empreitada sem risco de afogamento.

Outro ponto famoso do kite é Cabo Branco, palco de diversos campeonatos da modalidade. O sol forte, presente durante 12 horas todos os dias, atrai inclusive quem só quer ver o desfile de paraquedas coloridos, descansando na areia.

Intermares também é boa para os que pretendem investir no surfe. A tradicional Inject (www.injectbrasil.com) promove aulas avulsas diariamente, a partir de R$ 35, ou pacotes para iniciantes, além de aluguel de equipamentos.

MERGULHO

Sonha em ver o fundo do mar? Uma das principais escolas da modalidade está instalada na Paraíba. E dá para aproveitar as férias em João Pessoa para fazer um curso rápido. Basta ter a partir de 8 anos.

A Mar Aberto fica na Praia de Bessa e oferece cursos até para quem já é profissional. Os mais procurados são os programas de snorkeling - nado de superfície, com máscara e respirador - e scuba diving, mergulho a até 16 metros de profundidade.

Os locais de prática da modalidade também atraem pela beleza e pela curiosidade histórica. Diversos navios afundados podem ser visitados pelos mergulhadores - um deles é o Alice. O vapor brasileiro da época da Guerra do Paraguai está a cerca de 10 quilômetros da costa e a 12 metros de profundidade.

Mais conteúdo sobre:
Paraíba Verão 2010 praias litoral

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.