Pequeno guia prático antes de ganhar a estrada

1. Burocracia

O Estado de S.Paulo

11 Setembro 2012 | 03h10

Os documentos pessoais são os itens mais importantes da bagagem. Uma boa estratégia é fotografá-los, mandar para você mesmo por e-mail e manter as imagens no celular ou máquina fotográfica. Tenha em mãos números de telefone da embaixada ou consulado brasileiro mais próximos do seu destino. A lista completa está no site www.itamaraty.gov.br/o-ministerio/o-brasil-no-exterior. Fazer seguro é indispensável - quanto mais ampla a cobertura, melhor. O telefone de emergência em caso de perda do cartão de crédito deve estar anotado em algum lugar que não seja... o próprio cartão de crédito.

2. Segurança

Pode parecer contradição, mas o viajante solo, em geral, está mais seguro do que aquele que tem companhia. Isso porque a sensação de não ter ninguém para cuidar de você tem o efeito de aumentar a atenção. Mas não custa lembrar: não perca as malas de vista nem por um minuto e nunca as deixe destrancadas, nem no hotel. "De trem ou ônibus, é preciso ficar de olho, não dormir", diz o fotógrafo João Paulo Barbosa, fã de destinos pouco visitados como Ende, uma vila na Indonésia. Outra boa medida é deixar seu itinerário com alguém que fica - e pedir que a pessoa ligue nas datas marcadas para saber se você chegou mesmo ao tal hotel.

3. Sozinha no mundo

A consultora de estilo Milla Mathias viaja sozinha há 15 anos e diz que nunca se sentiu menos segura por ser mulher. "Sua postura inicial é o que determina como as pessoas vão se aproximar de você", diz. A viajante desacompanhada precisa saber dizer não, ser firme e, tanto quanto possível, passar despercebida, misturar-se aos locais. Não se sente à vontade, prefere encontrar um grupo pelo menos na primeira vez? Tente o projeto Mulheres Pelo Mundo.

4. Dia e noite

Barcelona é um destino incrível para curtir a noite tanto quanto o dia. O hábito local de salir de tapas - de bar em bar - é perfeito para circular. Na cidade espanhola ou em qualquer outra, no entanto, vale lembrar que, sozinho, você não tem ninguém para levá-lo de volta ao hotel. Beber demais está fora de questão. Bem como perder o próprio copo de vista. E tente não se estender pela madrugada. Se o problema for solidão, o ator Marcelo Mansfield dá a dica: "Encho o dia de atividades. É mais fácil se sentir só de noite, então prefiro estar bem cansado".

5. À mesa

Sabe aquele restaurante estrelado? Almoce lá, em vez de jantar, para se sentir mais à vontade e economizar. Muitos restaurantes badalados têm menus a preços fixos (e bem mais em conta) no almoço. A quem se sente incomodado em ocupar uma mesa sem companhia, a dica é procurar lugares informais e com balcão. "A hora da refeição é boa para socializar. Já conheci mulheres incríveis puxando papo em bares e restaurantes", diz o empresário Daniel Damaa.

/ MÔNICA NÓBREGA 

Notícias relacionadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.