Perca o fôlego na Chapada Diamantina

Figurinha repetida nas melhores fotos da Chapada Diamantina, o Morrão é, na verdade, uma grande pedra de 218 metros de altura encravada no meio de uma campina. O que poucos visitantes fazem, no entanto, é subir nesse gigante. Uma pena: trata-se de um belo passeio dentro do Parque Nacional.

O Estado de S.Paulo

19 Fevereiro 2013 | 02h12

São necessárias quatro horas entre subida e descida, além de algum fôlego, claro. O primeiro passo é combinar com seu guia uma parada para acampar por ali durante a travessia de 20 quilômetros entre Lençóis e o Vale do Capão. Ou, se estiver fazendo outro roteiro, entre os 13 quilômetros que separam o Morro do Pai Inácio - um clássico da Chapada - do Capão.

Acampando próximo à Cachoeira das Águas Claras, aos pés do Morrão, você tem tempo de sobra para alcançar o topo, gastar o cartão de memória da câmera fotográfica no caminho e voltar para descansar. Quem já subiu garante: o visual é tão - ou mais - impressionante quanto o do Morro do Pai Inácio.

Como se trata de uma caminhada alternativa, não há um padrão de preços, mas em um grupo de três pessoas cada um vai pagar, em média, R$ 100 por dia. O guia Sebastião Satelis (75-9966-1592) faz o percurso. Você também pode consultar a disponibilidade de outras agências no site guiachapadadiamantina.com.br.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.