Daniel Brito
Daniel Brito

Praias

Feliz é o país que tem dois litorais - e a Costa Rica pode se gabar disso. Dos 800 quilômetros de costa, 600 estão no Oceano Pacífico e o restante, no Mar do Caribe. Com tanto para escolher, fica difícil decidir qual a região mais bonita.

Daniel Brito, O Estado de S.Paulo

09 Junho 2009 | 02h29

A top Gisele Bündchen, por exemplo, optou pelos arredores de Santa Teresa, na Península de Nicoya, no Pacífico. Por lá ela realizou um de seus casamentos com Tom Brady, astro do futebol americano. Área mais rústica, a mais 200 quilômetros de San José, a vila de pescadores virou uma espécie de refúgio vip no país.

Já os costarriquenhos muitas vezes escolhem a praticidade. Basta encontrarem uma folguinha - pode ser férias ou um simples feriado - para querer despencar até Jacó, pouco mais de 40 quilômetros a oeste da capital. Como o movimento de carros é grande por lá, a estrada já não é mais tão estreita quanto no restante do país. Mas ainda falta sinalização no chão e as placas na rodovia são, para não soar tão crítico, evasivas.

 

Veja também:

linkJogo da vida radical

linkCafé da manhã no Caribe. Jantar no Pacífico

linkVulcões

linkRafting

linkCanopy

linkPacotes para percorrer o país

PARA LOCAIS

Jacó tem jeitão de balneário para gringos, mas é destino dos nativos mesmo. Resorts exagerados bloqueiam a visão da praia, arranha-céus só deixam você enxergar nesgas de horizonte e carros luxuosíssimos circulam nas ruas sem asfalto.

Mas por lá o visitante encontra ondas, muitas ondas. Em matéria de surfe, o Pacífico é o lugar. Além de Jacó, você pode ficar em Dominical, com ares de praia deserta, ou nas vizinhas Quepos e Manoel Antonio.

Esta, aliás, merece atenção especial. O Parque Nacional Manoel Antonio, onde fica a praia, é o destino mais visitado da Costa Rica. Pense no Parque da Cantareira. Muita árvore, muito verde, preocupação com o meio ambiente. Só que essa área termina no Oceano Pacífico (e não na cidade de São Paulo), com tudo de bom que ele pode oferecer: areia branca, água morna, transparente e calma. Pronto, eis Manoel Antonio.

ANIMAIS

E tem mais: é o lugar mais fácil para ver diferentes espécies de macacos e pássaros a menos de 1 metro de distância. Além de iguanas, veados, bichos-preguiça... Os macaquinhos interagem com os turistas, nem sempre de uma forma que agrada aos visitantes.

Eles querem comida, mas é terminantemente proibido alimentá-los. Às vezes, os animais se aproveitam do descuido de algum americano que deixou a bolsa aberta e metem a mão mesmo. Levam a mochila para cima da árvore, reviram tudo em busca de comida e depois largam a bolsa no chão, esparramada.

 

CARIBE

De novo, dificuldades para se locomover. Visitar a região do Pacífico é bem mais fácil que chegar ao trecho caribenho. Para começar, não há mais que três rodovias federais saindo da capital rumo ao leste. Puerto Limón é o principal ponto de parada. A cidade já foi rota de fuga de escravos da Jamaica, tem um mar azul e água aquecida, mas é muito turística. No Parque Nacional, a 60 km de Limón, estão as principais barreiras de corais do país, excelentes para quem gosta de mergulhar.

Mais conteúdo sobre:
ViagemCosta Rica

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.