Praias e uma cozinheira de mão cheia em Estância

Mais famosa pela festa de São João, cidade tem opções para outras épocas do ano

Fernanda Yoneya, O Estado de S.Paulo

22 Setembro 2009 | 05h18

Quando o assunto é festa de São João, Estância toma a dianteira como o destino mais conhecido de Sergipe. O que a multidão de turistas que segue para lá atrás de fogueira e forró talvez não saiba, no entanto, é que a cidade tem muitas outras atrações, vá lá, fora de época.

 

Veja também

linkNordeste com alma, cor e história

linkTodos os títulos para São Cristóvão

linkPelos cânions do Velho Chico

linkHoras entre corujas e falcões

linkCenário do fim de Lampião

Nessa categoria se encaixam as Praias Abaís, Caueira e do Saco, ótimas opções para o verão. E para as outras estações do ano, graças ao tradicional calor nordestino. Para melhorar o cenário, essas faixas de areia ficam a apenas 68 quilômetros de Aracaju.

A Praia do Saco é a mais famosa por causa da vista para a Ilha da Sogra, que fica no ponto de confluência entre os Rios Piauí e Real. Segundo a lenda que justifica o nome, um pescador levou a mãe de sua mulher para passear na ilha e, não se sabe se de propósito, acabou voltando sem ela. Já Abaís e Caueira têm extensas faixas de areia branca e mar de água morna.

Sim, existe por lá o indefectível passeio de escuna para visitar as três praias de uma vez só. Para quem gosta, é uma opção prática. Custa R$ 65 por pessoa e inclui visita a uma comunidade de pescadores. Outra possibilidade é alugar um carro e ir por conta própria.

FEIJOADA LOCAL

Tão famosa em Estância quando o arrasta-pé, a maniçoba é a versão local da feijoada paraense, que leva, no lugar do feijão, mandioca-brava moída.

A receita mais famosa da cidade é a de Dona Cremilda. A cozinheira prepara a iguaria em casa, com ajuda da filha, Karla Patrícia. O processo começa um dia antes, para garantir que as folhas de mandioca fiquem cozidas o suficiente para eliminar o seu componente tóxico. "O segredo é cozinhar quantas vezes for necessário", reforça Dona Cremilda.

Ela distribui as porções em bares e restaurantes - onde a receita é servida com acompanhamentos como arroz, farinha de mandioca e pimenta. Como opção, você pode ir pessoalmente buscar o prato. Qualquer morador sabe indicar o endereço da cozinheira - onde a concha de maniçoba custa R$ 1,50. Vale a pena telefonar antes e fazer a encomenda.

Outra dica gastronômica é o restaurante Lunary, que serve boas porções de carnes e frutos do mar. O lugar também é famoso por seu suco de mangaba, uma fruta nativa. O preço é camarada: o almoço executivo sai por R$ 7,99. F.Y.

linkDona Cremilda: (0--79) 3522-1035

linkRestaurante Lunary: Praça Barão do Rio Branco, 141; tel.: (0--79) 9985-0800

Mais conteúdo sobre:
Viagem & Aventura Sergipe Aracaju

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.