Produtos e tecnologias para proteger sua mala

As principais curiosidades do continente. Conheça o clima, o relevo, a geografia, cultura e economia dos países que integram a Oceania

Mônica Nóbrega, O Estado de S. Paulo

23 Junho 2015 | 00h00

Era uma promessa atraente a do serviço oferecido no aeroporto internacional de Guarulhos, em São Paulo: empacotar minha mala num filme plástico (recomendado para viagens à África do Sul, meu destino na ocasião) e aplicar nela uma etiqueta-chip da Exactta, que rastrearia a peça em caso de extravio. Eu ainda teria direito a um seguro com duração de 24 horas, cujas coberturas incluíam indenização no valor de R$ 5 mil em caso de perda definitiva da mala. Custo: R$ 50.

Aceitei. Ainda na sala de embarque, tentei acessar o site para seguir a orientação de fazer um cadastro. O site não carregou. Depois que cheguei ao meu destino, tentei contato no número de telefone indicado no manual do serviço. Nunca fui atendida. Para escrever a reportagem, tentamos contato com a Exactta por telefone e e-mail, mas não houve resposta. 

EQUIPAMENTO

Há outra opções no mercado para rastrear malas. Lançado em 2013, o Trakdot deve ser colocado dentro da bagagem, e de lá envia mensagens ao celular – via SMS, web, e-mail e aplicativo – informando sua localização. O aparelho fica ligado por até 22 dias ininterruptamente e opera com a tecnologia GSM, que informa a localização com base na antena de telefonia móvel mais próxima. 

LEIA MAIS: Limitar valor por extravio de bagagem vai contra o Código de Defesa do Consumidor

Voltando de um congresso em Vancouver, no Canadá, a dermatologista Solange Teixeira Libonati, soube pelo aparelho que sua mala fora extraviada na conexão nos Estados Unidos. Já em São Paulo, recebeu pelo celular o aviso de que a mala havia aterrissado em Guarulhos – antes mesmo do alerta da companhia aérea. “Agora mesmo vi que a mala está na Mooca. Daqui a pouco chega”, disse o médico Sergio Libonati, marido de Solange, na última quarta-feira. 

O Trakdot tem 5 mil aparelhos vendidos no Brasil, 50 mil no mundo e custa R$ 349, mais US$ 19,99 de assinatura por ano: trakdot.com.br.

A Rebound Tag, vendida no site em inglês (e pagável por PayPal) é uma tag com microship que manda mensagens ao celular e por e-mail. No site, você acompanha as idas e vindas da sua bagagem. O inconveniente é que a etiqueta deve ficar do lado de fora da mala. Custa US$ 31,99, mais US$ 6,99 de renovação anual de assinatura: reboundtag.com.

Mais conteúdo sobre:
Bagagem

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.