Lisi Viezzer
Lisi Viezzer

Programas para curtir o frio na serra, no Sul e no Sudeste

Confira passeios para aproveitar as baixas temperaturas em destinos com natureza, bem-estar e gastronomia, como caminhadas, festivais e hospedagem em lugares afastados dos grandes centros

Nathalia Molina, Especial para o Estadão

12 de julho de 2021 | 20h00

Inverno é um excelente tempero para uma receita de viagem que leva montanha e aconchego entre os ingredientes. O frio serve de pretexto para programas simples de turismo. Entre eles, uma caminhada na natureza, um jantar com gastronomia e vinho e uma hospedagem afastada de tudo – e, em tempos pandêmicos, de todos.

Vale manter em mente, aliás, que destinos de montanha costumam lotar no inverno. Significa que não dá para ir para lá? Nada disso, basta considerar onde se acomodar e evitar os centrinhos. Vá até lá apenas para se deliciar num restaurante reservado que esteja funcionando com distanciamento ou para abastecer seu chalé com o melhor do chocolate de fabricação local, em lugares como Campos do Jordão (SP), Monte Verde (MG), Penedo (RJ) e Gramado (RS). Sua noite à beira da lareira agradece.

Dá uma olhada só nesta listinha de programas para curtir o frio no Sul e no Sudeste:

Ficar em um hotel isolado

Você pode pensar em alugar um imóvel e levar os mantimentos de casa, ou se hospedar num ponto distante do centro de destinos badalados. Afinal, em matéria de paisagens naturais, ninguém pode reclamar de escassez no Brasil. Na Serra da Mantiqueira, perto da agitada Campos do Jordão, dá para pensar em lugares como São Bento do Sapucaí (SP), onde a Pousada do Quilombo oferece trilhas, tirolesa, ofurô e sessões de meditação – tarifa para casal desde R$ 770, com café.

Ainda na Mantiqueira, só que no Estado do Rio, Visconde de Mauá se espalha entre montanhas e cachoeiras. Lá, a Pousada Portal dos Ventos possui chalés com hidromassagem (alguns com teto de vidro). Com diária para casal a partir de R$ 525, incluindo café e cortesia no jantar, o hotel fica a dez quilômetros do Parque Nacional de Itatiaia.

Agora, se a intenção for ficar realmente distante dos centros urbanos, o Parador, na gaúcha Cambará do Sul, é sonho de consumo. Com passeio a cavalo e visitação aos cânions de Aparados da Serra entre as opções de lazer, o hotel inaugurou em 2021 uma acomodação em formato de casulo. Além do design totalmente diferente, o projeto integrado à natureza ao redor junta hidromassagem e lareira no deque – nesta acomodação, as tarifas começam em R$ 2.696 para dois, com café e chá da tarde.

Degustar gastronomia e vinho

Em casal, sozinho ou entre amigos, programa típico de inverno na serra é comer bem, sem pressa, acompanhado de um bom vinho. Até domingo, na 11ª edição do Serra Wine Week de Petrópolis (RJ), restaurantes, bistrôs, delis e hotéis vendem vinhos com descontos de até 37% – para montar seu roteiro, saiba mais no Instagram @serrawineweek. Entre os participantes do evento, a Pousada Paraíso Açú (com diárias a partir de R$ 300 para duas pessoas, sem café da manhã) tem no cardápio de seu restaurante pratos de truta ou fondue.

No Sul, os adeptos do enoturismo encontram no gaúcho Vale dos Vinhedos a oportunidade de explorar rótulos nacionais com gastronomia italiana em meio a uma imersão entre parreiras. Desde 1992, a Casa Valduga recebe visitantes no seu Complexo Enoturístico para roteiros por caves, cursos e degustações da bebida produzida pela empresa. Para se hospedar numa das pousadas do complexo, a diária mais em conta sai por R$ 465 o casal, incluindo curso de degustação, visita à vinícola e café da manhã.

Ir a um festival de inverno

Um tradicional evento no meio do ano em São Paulo é o Festival de Inverno de Campos do Jordão. Cancelado em 2020 devido à pandemia, ele ganhou uma versão híbrida até 1º/8, com homenagens aos 250 anos de Beethoven e 100 anos de Astor Piazzolla. Os 43 concertos gratuitos podem ser vistos também pelo YouTube do festival.

Na capital, na Sala São Paulo com capacidade reduzida de 1.498 para 480 pessoas, a Jazz Sinfônica recebe Mart’nália (18/7) e Renato Braz (1º/8). As apresentações de música clássica no Auditório Claudio Santoro, em Campos do Jordão, também estão menos ingressos, para manter o distanciamento (307 espectadores, ao invés de 814). O evento voltou com uma novidade: passa ser realizado duas vezes ao ano, no inverno e no verão – em 2022, de 15/1 a 13/2.

Organizados pela Agência de Desenvolvimento de Monte Verde e Região (Move), Inverno nas Montanhas e Festival de Gastronomia seguem até 15/8, com apresentações gratuitas de gaita de fole na avenida principal do destino no sul de Minas.

Caminhar na natureza

Na Serra Gaúcha, um dos passeios clássicos em Canela é embarcar nos Bondinhos Aéreos para passar perto da Cascata do Caracol. Aqueles em busca de um novo ângulo podem fazer o tour recém-lançado pela Brocker Turismo. A caminhada até a base da queda d’água segue os passos dos primeiros moradores da região, em quatro horas de passeio (de quinta a domingo, R$ 199 por pessoa).

Quem busca imersão profunda na natureza pode encarar a Expedição OBB - Expandindo a Zona de Conforto. Com camping e caminhada na Mantiqueira, exige bom condicionamento físico – saída em 29/7, quatro dias a partir de R$ 1.520 por pessoa, na Pisa Trekking.

Cuidar-se em um spa

O aconchego da serra pode ser ideal também para dias de autocuidado. Spas como Kurotel e Rituaali aplicam métodos e terapias para um detox de corpo e mente. Em Gramado (RS), o plano Relax do Kurotel exige um mínimo de duas noites e custa a partir de R$ 3.980 por pessoa. Já os programas do Rituaali, em Penedo (RJ), saem desde R$ 1.760 (diária por pessoa; mínimo de quatro noites). Ambos incluem atividades e refeições.

Curtir o frio em família

Para muita gente, o bem-estar pode estar relacionado com o convívio familiar. Em Teresópolis (RJ), na Serra dos Órgãos, o resort Le Canton junta diversão para a meninada (castelo medieval, arvorismo, fazendinha e pescaria, entre outras atividades) com spa L’Occitane, queijaria suíça, adega com quase 100 rótulos e restaurante com toque francês. As diárias com pensão completa partem de um mínimo de R$ 750 (agosto, durante a semana).

Prefere algo mais bucólico? O Vale do Café, na região de Vassouras (RJ), guarda fazendas que testemunharam o ciclo econômico na região, no século 19. Passeio a cavalo, pedalinho, stand-up paddle, trilhas, piscina aquecida e prainha de água doce garantem o lazer de adultos e crianças na Fazenda São Luiz da Boa Sorte (pacote de sexta a domingo desde R$ 2.680 para casal, com pensão completa e atividades).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.