Programas quentes em pleno inverno europeu

Está frio também na Europa. Não tanto quanto nos Estados Unidos e Canadá, mas, ainda assim, é inverno por lá. E isso requer um planejamento um pouco diferente para quem visita o Velho Continente nessa época.

Renata Reps, Especial para O Estado de S.Paulo

14 Janeiro 2014 | 02h09

A vantagem é a ausência de aglomerações turísticas - mas nem pense em programar mais visitas para o mesmo dia por causa disso. Como as roupas de frio são pesadas e o dia tem menos horas de luz, é normal se sentir cansado antes do que você poderia imaginar. Vale a pena investir em um hotel mais confortável e estruturado, para poder ficar mais tempo nele.

Nada disso significa que você não vai aproveitar o inverno europeu. Basta fazer como os moradores e desacelerar. O segredo é intercalar parques e monumentos com museus e pausas estratégicas em cafés e restaurantes quentinhos para repor as energias. E deixar as cidadezinhas pitorescas para outra ocasião: nas grandes capitais você sempre terá o que fazer.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.