Quartos para quem vive entre os livros

Quartos de hotel com poesia nas paredes. Bibliotecas abarrotadas de clássicos. Ou prédios inteiros que ainda conservam a aura do ilustre escritor que fez daquelas paredes sua morada. Amantes de literatura não precisam ficar fora de seu hábitat quando estão em viagem a alguns cobiçados destinos internacionais. Confira opções para visitar (e se hospedar) enquanto a próxima Flip não vem.

O Estado de S.Paulo

10 Agosto 2010 | 02h18

Library Hotel, NY

libraryhotel.com

Os 6 mil livros dispostos nas prateleiras, à disposição dos hóspedes, justificam com sobras o título hotel-biblioteca. Os volumes estão organizados por temas - como literatura, história, filosofia e arte -, cada qual em um andar. A sala de leitura fica aberta 24 horas e há, ainda, o Jardim da Poesia, com confortáveis cadeiras. Outra opção é a Biblioteca Pública de Nova York, a alguns passos dali. Diárias a partir de US$ 379 (R$ 665).

Hotel de Las Letras, Madri

hoteldelasletras.com

O clássico edifício de 1917 foi remodelado para abrigar esse modernoso hotel na Calle Gran Vía, que concentra parte do agito cultural na capital espanhola. Os quartos - decorados com cores fortes - têm nas paredes frases de livros ou de poesias. Para ler mais (e com o conforto que você tem em casa), basta visitar a biblioteca do hotel. Diária a partir de 106 (R$ 245).

L"Hotel, Paris

l-hotel.com

Um de seus quartos foi a última morada de Oscar Wilde - apesar de restaurado, preserva ares tradicionais. O charme e elegância do hotel procuram traduzir a atmosfera glamourosa da Paris dos anos 1960. Diárias a partir de 280 (R$ 647)

Pera Palace, Istambul

greatistanbul.com

Construído em 1892 para servir de abrigo aos ricaços que desembarcavam do lendário Expresso do Oriente, o hotel recebeu em seus quartos cabeças coroadas, milionários em geral e inúmeros artistas. Poucos, no entanto, deixaram tantas marcas no palacete quanto Agatha Christie - foi lá que ela escreveu as primeiras páginas de Assassinato no Expresso Oriente. O quarto 411, onde ela dormiu, foi preservado em sua homenagem. Atualmente fechado para reforma, o hotel tem reabertura prevista para setembro.

Majestic, Porto Alegre

ccmq.com.br

A Casa de Cultura Mário Quintana, às margens do Rio Guaíba, era originalmente o luxuoso Hotel Majestic, onde o poeta viveu entre 1968 e 1980. O acervo do espaço inclui vasto material sobre Quintana, disposto no mezanino. Já o segundo andar reconstitui com peças originais o último quarto em que ele morou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.