Quatro dicas para não dançar na Broadway

Mesmo com a montagem frequente de musicais americanos (vertidos para o português!) em São Paulo, a Broadway continua um dos programas preferidos dos brasileiros em Nova York. É fácil de entender: assistir a um musical na Broadway é como ver uma Copa no Brasil. A mágica é ainda maior.

Ricardo Freire, O Estado de S.Paulo

08 Julho 2014 | 02h06

Tem um show específico na cabeça? Reserve com antecedência. Os espetáculos em cartaz estão no site oficial Broadway.com. Se encontrar um musical que você faça muita questão de ver, garanta sua poltrona o quanto antes: dá para comprar ingresso para todos os espetáculos no próprio site. Antes, porém, dê uma olhada em páginas que vendem entradas com desconto, como o BroadwayBox.com (dica da minha amiga Marcie Pellicano, dona do blog Abrindoobico.com, sobre Nova York). Não espere, contudo, encontrar pechinchas (nem bons lugares) para os musicais mais concorridos, como The Lion King, The Book of Mormon ou Wicked em sites de desconto.

Qualquer um serve? Compre no dia. Em plena Times Square, o quiosque TKTS vende ingressos que sobraram para shows no mesmo dia com até 50% de desconto. Os ingressos para as sessões noturnas começam a ser vendidos às 15h (terça-feira, às 14h); para as matinês, às 10h (quarta e sábado) ou 11h (domingo). A filial do South Street Seaport (metrô Fulton St.; fecha domingo) tem filas menores e, além de ingressos para o mesmo dia, vende entradas com um dia de antecedência para matinês. Dica fura-fila: ao comprar um ingresso no TKTS você tem o direito de usar o guichê preferencial para novas compras nos sete dias seguintes.

É mais divertido quando você conhece a música. Musicais da Broadway são longos: o primeiro ato dura 1h30, há um intervalo de 15 minutos e então vem um segundo ato que leva entre 45 minutos e 1 hora. Se você, como eu, tem dificuldade para entender letra de música, certamente vai curtir mais quando a história ou as músicas são conhecidas. Fãs de Billie Holiday não podem perder Lady Day at Emerson's Bar and Grill (até fim de agosto). As trilhas de Motown the Musical, Jersey Boys e Mamma Mia são cheias de hits. Rocky, Bullets over Broadway, Aladdin, Cinderella e Cabaret têm histórias conhecidas.

Off-Broadway também é um programão. Alguns dos espetáculos de carreira mais longa em Nova York não estão na Broadway - como Blue Man Group, Stomp e Fuerza Bruta. As revistas New York e Time Out são ótimas fontes para descobrir os espetáculos que estão acontecendo. Eu recomendo vivamente Here Lies Love, de David Byrne e Fat Boy Slim - uma espécie de Evita sobre a primeira-dama filipina Imelda Marcos. O musical é apresentado num palco móvel montado num andar vazio do Public Theater; você assiste de pé (e dançando). Tem apresentações previstas até meados de setembro (herelieslove.com).

Mais conteúdo sobre:
Ricardo Freire

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.