Ruben Sprich/Reuters
Ruben Sprich/Reuters

Que seu 2019 seja uma viagem

E que nenhum aviso de atar cintos impeça você de ir mais longe

Adriana Moreira, O Estado de S.Paulo

01 Janeiro 2019 | 04h30

Nem bem chegou e 2019 já está carregado de expectativas. Sou a favor de que se crie qualquer coisa – galinhas, minhocas, coelhos – mas não expectativas. Ainda assim, é difícil não se empolgar com a possibilidade de ter um ano inteiro para encher de esperança.

Assim, desejo que seu 2019 seja uma viagem. Que não haja atrasos nesse longo voo de 12 meses, nem turbulências que tirem a tranquilidade da jornada. Que a aterrissagem seja suave, sem problemas, nem gente em pé no corredor atravancando a passagem sem necessidade.

Espero que você embarque neste ano sentado na primeira classe, podendo esticar as pernas, dormindo um sono renovador e com um cardápio maravilhoso de opções para escolher não entre “o que tem”, mas entre o que você deseja. Que você embarque nele sem filas nem perrengues, que possa despachar as malas (principalmente as sem alça) para bem longe. E, dessa forma, permaneça os 365 dias com um sorriso no rosto.

Se não der para sentar na primeira classe, que você então embarque nesse Airbus 2019 na Comfort. Que haja espaço suficiente para relaxar vez ou outra e ao menos alguns mimos e agradinhos; se o ano não te tratar como VIP, que ele ao menos lhe seja gentil.

Mas sabe como é, a maior parte das vezes a gente passa o ano na econômica mesmo. É aquela coisa meio corrida, tentando escapar das filas, escolhendo entre massa, carne ou frango, sem muito espaço para esticar as pernas. Por isso, se 2019 for um ano de classe econômica, espero que você consiga escolher seu assento sem pagar nenhuma taxa a mais por isso. Que você possa se sentar na janelinha, se assim desejar, e avistar lá do alto um mundo de possibilidades. Desejo ainda que você tenha sorte – que o assento do meio esteja sempre vazio para você poder se esparramar um pouco mais por este ano e chegar ao fim dele sem muitas avarias.

Você é do tipo que viaja no corredor? Nesse caso, meus votos são para que possa andar livremente por esse avião sem que nenhum aviso de atar cintos interrompa a caminhada. E que encontre boas surpresas, como lanchinhos e sorvetes distribuídos no meio da jornada.

Bem, sem querer ser pessimista, há sempre a possibilidade de passar 2019 viajando no assento do meio. Tem lá seus desconfortos, mas admitamos: é melhor do que não viajar. Por isso, se for isso o que 2019 lhe reserva, espero que ao menos você conquiste o direito sobre o apoio de braço, que seus companheiros de viagem lhe sejam gentis o suficiente para não ocupar seu parco espaço se espalhando sobre você. Desejo ainda que não acabe o prato que você quer (massa/frango/carne) bem na sua vez. E, quem sabe, que você perceba durante a jornada que há um assento vago na fileira de trás – e viaje com um pouco mais de conforto.

Talvez você não consiga despachar as malas neste 2019. Se for assim, que ao menos encontre um lugar para elas no bagageiro sem fazer muito esforço. E que nenhuma atravanque seu espaço de pernas sob o banco da frente.

De qualquer forma, encare o novo ano como uma bela viagem, percorra 2019 como se estivesse em férias. Encontre mais motivos para sorrir, releve imperfeições, relaxe mais e se preocupe menos. Seja leve, mesmo nos dias de tempestade.

Deixe-se encantar pelas paisagens que você vê todos os dias, como se estivesse ali pela primeira vez. Experimente coisas novas, questione, seja curioso. Curta um dia de sol. Faça novos amigos, encontre os antigos, deixe o celular de lado por algumas horas.

Esqueça os problemas ao menos por um dia.

É claro que toda viagem pode ter seus perrengues. Se eles surgirem, encare, resolva e siga em frente.

Mas o que desejo mesmo é que todos tenham um upgrade neste 2019, mesmo que sua expectativa seja apenas o assento do meio. O importante, sempre, é viajar. 

Mais conteúdo sobre:
turismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.