Quedas espetaculares no Iguaçu. E peixes num Tietê diferente

Rafting perto das cataratas e tour de barco estão entre as atrações

Adriana Moreira e Lucas Frasão, O Estado de S.Paulo

04 Novembro 2008 | 02h48

Ele nasce perto de Curitiba, sem graça ou destaque. Mas vai ganhando força e volume surpreendentes até formar, mil quilômetros à frente, um dos maiores espetáculos da Terra. O Rio Iguaçu e suas cataratas encantam turistas do mundo todo. Um deslumbramento que começa no lado brasileiro e segue em território argentino. Mas você não precisa se limitar a contemplar as Cataratas do Iguaçu, as maiores em volume d?água. Na verdade, tem uma obrigação turística de embarcar no passeio Macuco Safári, que leva bem pertinho das fortes quedas. Uma experiência impossível de esquecer. Existe, ainda, a alternativa de entrar num bote e fazer um rafting nas corredeiras do Iguaçu. Calma, calma. As cataratas estarão a uma distância segura de você. BARRA BONITA Quem passa pelo poluído Rio Tietê, na capital paulista, nem acredita que, mais à frente, 3 mil quilos de tilápias sejam pescados todos os dias. Em Barra Bonita, a 276 quilômetros de São Paulo, um projeto de saneamento básico iniciado em 2005 e orçado em R$ 9 milhões devolveu à cidade os peixes - e os turistas. De olho na boa maré, o município passou a divulgar suas atrações. Deu certo: hoje recebe 300 mil visitantes por ano.Os passeios de barco (R$ 25 por pessoa) são a grande pedida. Organizados por três empresas, duram três horas e incluem a passagem por uma eclusa. Parque Nacional do Iguaçu: Entrada: R$ 15; www.cataratasdoiguacu.com.br Barra Bonita: www.barrabonita.sp.gov.br

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.