Flybondi
Flybondi

Raio-x das aéreas low cost: entenda as companhias de baixo custo no Brasil

Até o fim do ano, País terá quatro companhias aéreas de baixo custo voando para Chile, Argentina e Inglaterra; conheça melhor cada uma delas e quais as vantagens e desvantagens em relação às aéreas tradicionais

Bruna Toni, O Estado de S.Paulo

11 de outubro de 2019 | 19h48

O céu entre Rio de Janeiro e Buenos Aires conheceu uma nova aeronave nesta sexta-feira, 11, quando a low cost Flybondi fez seu voo inaugural entre as duas cidades. De origem argentina, a companhia aérea foi aberta em 2012 e é a terceira da categoria baixo custo estrangeira a começar a operar no Brasil. 

Bastante tradicionais na Europa e nos Estados Unidos, as low cost são uma alternativa a quem quer voar mais barato, abrindo mão de serviços como refeições a bordo, despacho de bagagem e marcação de assento. Estes serviços são oferecidos por todas elas, mas mediante pagamentos extras - que, em geral, são mais baratos do que os cobrados por grandes companhias.

A chilena Sky Airline foi primeira low cost a começar a operar no País, oferecendo rotas entre São Paulo e Santiago e Rio de Janeiro e Santiago desde novembro do ano passado. Até o fim do ano, a companhia ainda lançará voos para a capital chilena a partir de Florianópolis e de Salvador

Floripa também terá voo direto a Buenos Aires este ano, a partir de dezembro, com a Flybondi iniciando a segunda rota de seus planos para o Brasil. Planos porque, segundo o diretor comercial da companhia, Mauricio Sana Saldaña, a empresa já recebeu pré-aprovação para operar viagens de/para Buenos Aires a partir de outros 15 destinos brasileiros, como Porto Alegre, Curitiba, Belo Horizonte e Recife

Além delas, a Norwegian faz a rota São Paulo - Londres desde março deste ano e a Jet Smart, outra companhia chilena, inicia suas rotas para Santiago a partir do Brasil em dezembro, com voo saindo de Salvador. Em janeiro, lançará voo desde Foz do Iguaçu e, em março, de São Paulo - o que significa que a capital paulista terá, nos próximos meses, duas companhias low costscom voos para o Chile.

Comprar passagens de empresas low cost é economizar, em média, 50% do dinheiro gasto com companhias grandes tradicionais. Mas a entrada das primeiras no mercado pode pressionar a redução dos valores das segundas. De acordo com pesquisa do IBGE, o preço dos bilhetes aéreos caiu 16,85% entre janeiro e setembro deste ano, sendo o item não-alimentício com o maior redução para o consumo brasileiro. Uma das explicações para a queda de preço pode estar justamente nesta mudança.

Há diversas razões para as low cost conseguirem praticar valores mais em conta. Além de incluir todos os serviços no grupo de adicionais pagos à parte, as operações de embarque e desembarque são otimizadas; os aeroportos de pouso e decolagem são, muitas vezes, menores e mais simples; a frota é menos diversificada, exigindo menos diversidade entre os profissionais especializados.

Para dar uma ideia clara das vantagens e desvantagens de cada uma das quatro aéreas low cost com voos no/para o Brasil até o fim do ano, fizemos um raio-x de cada uma e comparamos seus valores com o de companhias de operação normal - a escolha destas seguiu as indicações do site da Decolar de companhia mais barata com voo direto. 

 

SKY AIRLINE

skyairline.com

Operações: opera desde novembro de 2018 duas rotas para Santiago do Chile, uma a partir de São Paulo e outra a partir do Rio de Janeiro. No dia 5 de novembro começa o voo a partir de Florianópolis e, no dia 30 de dezembro, a partir Salvador.

País de origem: Chile

Tipo de aeronave: Airbus A320neo

Roteiros e tarifas médias:

São Paulo - Santiago 

Rio de Janeiro - Santiago 

Florianópolis - Santiago 

Salvador - Santiago  

Segundo a própria Sky Airline, sua tarifa média é de aproximadamente US$ 80 (R$ 328). Mas as idas para Santiago são mais caras do que os retornos para o Brasil - a diferença entre os trechos de ida e de volta tendo São Paulo como referência vai de US$ 300 (ida) a US$ 77 (volta), por exemplo. Comparando com a Aerolíneas Argentinas, a mais em conta depois da Sky Airline segundo a Decolar, o valor das passagens da low cost é metade do praticado pela grande companhia argentina - cerca de R$ 406 de diferença. 

1 - Despacho de bagagem

A Sky Airline tem uma particularidade: sua tarifa mais barata, chamada Zero, não inclui bagagem de mão, apenas bolsa com medidas máximas de 25 cm x 35 cm x 45 cm. Para incluir bagagem de mão, paga-se US$ 26 a mais (R$ 107). Também é possível optar pela tarifa intermediária, a Plus, que custa US$ 84 (R$ 345) a mais e inclui, além da bolsa, uma bagagem de mão e uma bagagem despachada de até 23 kg.

Na Aerolíneas Argentina funciona da mesma forma: sua tarifa Promo só inclui bolsa com medidas máximas de 25 cm x 35 cm x 55 cm e peso até 3 kg. Para levar uma bagagem extra de até 23 kg paga-se mais US$ 20 (R$ 82) pelo site (no balcão é o dobro).

2 - Marcação de assentos antecipada

Na Sky Airline custa desde US$ 7 (R$ 29). A tarifa intermediária Plus que citamos no item acima também inclui no pacote a marcação de assento antecipada. Na Aerolíneas Argentinas, a marcação está incluída no valor da passagem independentemente da categoria da tarifa escolhida. 

3 - Cartão de embarque

A Sky Airline não cobra pela impressão do cartão de embarque, assim como a Aerolíneas.

4 - Serviço de bordo

Um dos serviços extras oferecidos pela Sky Airline, na hora da compra das passagens, é o Star Pass: pagando mais US$ 4,50 (R$ 19) é possível ter prioridade na hora de embarcar. No cardápio de bordo, há bebidas quentes e geladas, snacks, sanduíches e combos com preços que vão de US$ 0,8 a US$ 6,9 (R$ 3,29 a R$ 29). 

5 - Clube de descontos

Não existe, mas a companhia afirma que não descarta esse plano para o futuro.

6 - Planos de ampliação de rotas no Brasil

“O Brasil é um dos mercados mais importantes da América Latina. Em novembro do ano passado, chegamos com duas rotas fixas, Rio de Janeiro e São Paulo, além de uma sazonal, Florianópolis. Recentemente, anunciamos Salvador para o final de dezembro também como uma rota sazonal. Estamos sempre avaliando a entrada em novas rotas, mas, por enquanto, ofereceremos apenas vôos internacionais que conectam o Chile a várias cidades brasileiras”, explica Jayme Fernandez, gerente de vendas da Sky Airline.

NORWEGIAN

norwegian.com/br

Operações: opera desde março deste ano no Brasil, com uma rota entre Rio de Janeiro e Londres (quatro voos semanais).

País de origem: Noruega 

Tipo de aeronave: Boeing 787 “Dreamliner”

Roteiros e tarifas básicas:

Rio de Janeiro - Londres - desde R$ 1.060 (por trecho)

As passagens para Londres pela Norwegian saem cerca da metade do preço cobrado pela British Airways, a mais em conta entre as grandes companhias com voos diretos de acordo com a Decolar. Para fevereiro, ida e volta na low cost custa cerca de R$ 2.665, enquanto na segundo sobe para R$ 4.373. As taxas/impostos embutidas nos valores das passagens para os mesmos dias (ida e volta) saem, na Norwegian, em torno de R$ 639 e, na British, cerca de R$ 748. 

O aeroporto de pouso da Norwegian é o Gatwick, com fácil acesso ao centro de Londres por meio de transporte público - são cerca de 40 minutos contra os 50 minutos gastos por quem chega pelo aeroporto Heathrow. 

1 - Despacho de bagagem

A tarifa mais barata da Norwegian inclui bagagem de mão de até 10 kg. Para acrescentar uma bagagem despachada de até 20 kg, paga-se R$ 143 por trecho - é possível acrescentar uma bagagem a esse valor até 4 horas antes do voo. Outra opção é desembolsar R$ 238 na categoria Low Fare + para ter direito a uma bagagem despachada de até 20 kg e até duas refeições durante o voo. 

Na British, a tarifa econômica básica só inclui bagagem de mão, mas esta pode pesar até 23 kg. Para ter direito a uma mala despachada (de até 23 kg também), é necessário pagar US$ 120 a mais (R$ 494). Compensa, neste caso, optar pela categoria econômica standard pagando o valor extra de US$ 45 (R$ 185) por trecho: nela, além da mala despachada, o passageiro tem direito à marcação de assento "gratuita" até 24 horas antes do voo. 

2 - Marcação de assento antecipada

A tarifa básica da Norwegian não inclui marcação de assento. Para escolher seu lugar é necessário pagar desde R$ 118. A British cobra US$ 32 (R$ 132) pela marcação de assento antecipada, mas a sua já citada tarifa econômica standard inclui, além da mala despachada, a marcação até 24 horas antes do voo, custando R$ 185 mais do que a tarifa básica.

3 - Cartão de embarque

A Norwegian não cobra pela impressão da passagem, mas cobra R$ 10 para enviar o recibo de compra por SMS. Na British, a impressão é gratuita.  

4 - Serviço de bordo

A Norwegian tem Wi-Fi gratuito a bordo e janelas 65% maiores do que a de aviões similares. Na hora de comprar passagem, você pode incluir no pacote o embarque prioritário (mais R$ 24) e o seguro que dá reembolso caso você não possa viajar (mais R$ 48 e grátis para bebês). Também é possível encomendar sua refeição até três dias antes da viagem.

Há opções de menu clássico, infantil, halal, judaico, para diabéticos, sem glúten, sem lactose, para vegetarianos e para veganos - todas custam R$ 119 por trecho, com exceção do cardápio judaico, que sai por R$ 143 por trecho. A bordo, dá para comprar bebidas quentes e geladas e refeições leves, cobertor e fones de ouvidos, com preços entre US$ 3 e US$ 11 (R$ 13 e R$ 45). 

5 - Clube de descontos

Há o programa de fidelidade Norwegian Reward, que permite acumular pontos (chamados cash points) voando ou alugando um veículo e/ou se hospedando em empresas parceiras da companhia aérea. Como membro, é possível ter recompensas a cada seis voos. Entre elas, reservar lugares e despachar bagagens sem custos adicionais. E, quanto mais cara a tarifa do voo, mais pontos se soma. 

6 - Planos de ampliação de rotas no Brasil

“O Brasil é um mercado de grande interesse para a Norwegian, embora, neste momento, nós não possamos dar detalhes de novas operações para e a partir do Brasil”, diz o diretor de comunicação e assuntos públicos da Norwegian na Argentina. Matias Maciel. 

FLYBONDI

flybondi.com/br

Operações: começou a operar no Brasil nesta sexta, dia 11 de outubro (voo Rio de Janeiro), e em 20 de dezembro inaugura o voo a partir de Florianópolis.

País de origem: Argentina 

Tipo de aeronave: Boeing 737-800

Roteiros e tarifas básicas:

Rio de Janeiro - Buenos Aires - R$  433 por trecho

Florianópolis - Buenos Aires - R$ 307 por trecho

Os valores das passagens, por trecho, na Flybondi custam cerca de R$ 400 a menos do que em companhias de grande porte como a Gol. Em consulta para o início de dezembro da rota Rio de Janeiro-Buenos Aires-Rio de Janeiro, as taxas podem variar de R$ 150 a R$ 190 na low cost. Ou seja, ida e volta somam cerca de R$ 340.  Já na Gol, as taxas saem de R$ 122 a R$ 282, dependendo do trecho.

Na Argentina, o aeroporto de pouso e decolagem é El Palomar, que está a 50 minutos do centro de Buenos Aires - no caso das demais companhias, o aeroporto é o Ezeiza, a 40 minutos do centro da cidade. Para facilitar o acesso, a Flybondi oferece, durante a compra das passagens, um serviço adicional de transfer para a região do Retiro por R$ 16,50 (no aeroporto sai mais caro). 

1 - Despacho de bagagem

Na Flybondi, os valores para despacho de bagagem custam R$ 91 para malas de até 12 kg e R$ 119 para malas até 20 kg, peso máximo permitido pela companhia.

Na Gol, o custo adicional do despacho de bagagem nas tarifas Promo e Light é de R$ 60 comprando online e R$ 120 no balcão do aeroporto - neste caso, pode valer mais a pena optar pela tarifa Plus da companhia brasileira, que pode incluir, pelo mesmo valor, não só despacho de uma bagagem, como marcação de assento e antecipação de voo gratuitas

2 - Marcação de assentos antecipada 

Na Flybondi, custa desde R$ 23. Na Gol a marcação é gratuita durante o período de check-in e sai por R$ 15 para antecipá-la. 

3 - Cartão de embarque

Enquanto nas companhias de grande porte a impressão do cartão de embarque está incluída no valor da passagem, na Flybondi a cobrança por esse serviço adicional é de R$ 14

4 - Serviço de bordo

Entre os serviços adicionais oferecidos pela Flybondi no ato da compra online de passagens está o de se pagar mais R$ 4,80 por um chá ou café a bordo. Também é possível consultar o cardápio completo, que inclui outras bebidas, doces e salgadinhos a partir de R$ 2. Como extras, há a promoção da raspadinha: você paga R$ 2 por um cartão Raspa y Gana e pode ganhar produtos da aérea.  

5 - Clube de descontos

Sócios do Clube Flybondi acumulam pontos quando utilizam os serviços da companhia e podem receber ingressos para eventos esportivos e artísticos como o Cirque du Soleil. 

6 - Planos de ampliação de rotas no Brasil

A Flaybondi tem autorização para operar em 17 destinos brasileiros, o que daria um total de 99 rotas. Os próximos lugares, porém, ainda estão sendo avaliados. A empresa também disse estudar roteiros alternativos como voos diretos Brasil-Bariloche.

JET SMART

jetsmart.com/br/pt

Operações: começa a operar no Brasil no dia 27 de dezembro (voo de Salvador); 5 de janeiro de 2020 (voo Foz do Iguaçu); e 20 de março de 2020 (voo São Paulo).

País de origem: Chile

Tipo de aeronave: Airbus A320

Roteiros e tarifas básicas:

São Paulo - Santiago - R$ 349 por trecho

Foz do Iguaçu - Santiago - R$ 299 por trecho

Salvador - Santiago - R$ 399 por trecho

Os valores das passagens, por trecho, custam metade do preço cobrado por uma companhia de operação normal como a Latam. Na Jet Smart, as taxas/impostos somam cerca de R$ 267 contra R$ 228 da Latam. 

1 - Despacho de bagagem

Na hora de escolher o tipo de bagagem, o site da Jet Smart mostra as dimensões máximas permitidas da mala de mão, o que facilita o acesso à informação. O custo pelo despacho de uma bagagem de até 23 kg é de cerca de R$ 100, o mesmo valor do praticado pela Latam. 

2 - Marcação de assentos antecipada

A Jet Smart cobra desde R$ 30 pela escolha de assento antecipada. Na Latam, este valor sai desde R$ 21.

3 - Cartão de embarque

Na Jet Smart há cobrança extra caso o passageiro não imprima seu cartão por conta própria: R$ 21 pagando antecipadamente e R$ 30 caso tenha de emitir a passagem no aeroporto. 

4 - Serviço de bordo

Há snacks, bolos, bebidas, saladas, sanduíches e combos no menu da Jet Smart. Os preços começam em US$ 2 (R$ 8,20) e chegam a US$ 12 (R$ 50) no caso dos combos. Há outros produtos à venda, como chips de celular, travesseiro de pescoço e fones de ouvido desde US$ 5 (R$ 21). 

5 - Clube de descontos

Cliente associado paga um valor mensal de R$ 150 e pode obter descontos a partir de R$ 29 por trecho em tarifas acima de R$ 100. Também há desconto de R$ 4 para bagagens de cabine e/ou despachada. 

6 - Planos de ampliação de rotas no Brasil 

Estão em avaliação mais voos entre Brasil e Chile a partir e para outros destinos e voos entre Brasil e Argentina.  

Tudo o que sabemos sobre:
turismoavião

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.