Relax no hostil e irresistível Mar Morto

A água, morninha, é dez vezes mais salgada que o habitual, faz os olhos arderem e os banhistas boiarem sem esforço. Melhor visitá-lo logo: a cada ano, ele encolhe um metro

Leandro Quintanilha / EIN GEDI,

09 Agosto 2011 | 04h00

 

 

O Mar Morto é hostil. A água, morninha, é tão salgada que, se entra no olho, bem, serão ao menos dez minutos de agonia. E a areia submersa esconde uma crosta de sal que pode ter protuberâncias cortantes. Por isso, banho de mar, só de chinelos.

 

Trata-se, contudo, de uma experiência fundamental em uma visita a Israel. O Mar Morto é o principal ponto turístico não religioso do país. E vem encolhendo perceptivelmente: estima-se que já tenha perdido um terço de sua superfície nos últimos 50 anos. Há várias razões para a redução do volume das águas: mineração, irrigação, agricultura...

 

Ele não vai desaparecer de um dia para o outro (e há especialistas que garantem que isso nunca vá acontecer), mas você pode visitá-lo com a desculpa de se garantir. Afinal, o Mar Morto encolhe um metro por ano.

 

O nome mórbido se deve ao fato de que não há vida nas águas (o que também é contestado por alguns especialistas). De todo o modo, os peixes arrastados pelas correntes do Rio Jordão morrem imediatamente ao entrar em contato com o mar, dez vezes mais salgado que o habitual.

 

Essa também é a razão pela qual todos flutuam, sem esforço, ao entrar na água. A brincadeira não pode durar mais do que 15 minutos - corre-se o risco de desidratação. Depois do mergulho, é preciso tirar todo o sal nos chuveiros de água doce espalhados pela orla.

 

Ainda assim, a composição das águas (ricas em minerais como sódio, magnésio, cálcio e potássio) é considerada benéfica à pele. Por esse motivo, não faltam spas nas imediações.

 

Na verdade, os propalados efeitos terapêuticos do Mar Morto são um grande negócio em Israel. A marca Dead Sea vende diversos tipos de cosméticos, incluindo lama retirada da região. É possível comprar os produtos nos spas, shoppings e até nas lojas dos aeroportos.

 

Curiosidades. Orgulho israelense, o Mar Morto, compartilhado com a Jordânia e a Autoridade Palestina, tem cerca de 80 quilômetros de extensão e é o ponto mais baixo da superfície terrestre, 423 metros abaixo do nível do mar.

 

Além de ponto turístico, a região é também polo agrícola. Isso se deve, em parte, à produção de potássio realizada ali, importante componente para adubo. Só de tamareiras, uma das mais antigas culturas da região, são 250 hectares.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.