Ao recuperar área degradada, Colombo respira ares renovados

Durante a longa guerra civil que o Sri Lanka atravessou, até mesmo os bairros residenciais mais elegantes da capital Colombo sofreram. Fantásticas mansões coloniais se deterioraram. Fachadas de lojas abandonadas fazem parte dos efeitos colaterais econômicos da guerra. Após se assegurar da vitória sobre os Tigres de Tâmil - grupo rebelde que tentou tomar o poder em 2009 - o presidente Mahinda Rajapaksa aplicou seu braço ainda forte para embelezar as ruas de Colombo, começando com a região de Cinnamon Gardens. Os estilistas e artistas locais, muitos retornando de temporadas no exterior, desenvolveram seus trabalhos por ali. Hotéis-butique, como o Tintagel, com seus dez quartos, e também restaurantes e cafés chiques - caso do Coco Veranda - trouxeram vida nova às casas outrora "assombradas".

COLOMBO, O Estado de S.Paulo

07 Fevereiro 2012 | 03h11

Stringhopper and Conscience. O proprietário Ajai Virr Singh checa cada parte do que ele chama de "cadeia produtiva da felicidade", que envolve suas bem-humoradas roupas masculinas feitas num sistema 'sem culpa', que não utiliza mão de obra escrava e conscientiza sobre os perigos do consumismo. Peças a partir de 3,5 mil rupias (R$ 53). Site: musthaveconscience.com.

Kemara. Num clima calmíssimo de day spa, a dona Kishani Gunawardena oferece essências de gerânio, citronela e erva cidreira que fazem da loja de repelentes ótimo negócio para quem vai para as florestas do interior do país ou para as praias do sul. Preços a partir de 375 rupias (R$ 5). Mais: kemaralife.com.

Euphorium. Além de trabalhar no Amanresorts, Midori Peiris também chama a atenção dos hóspedes com sua loja de chás que está completando um ano. Ela cria misturas, como as da foto, com as mais de 80 variedades de folhas produzidas na região. Site: euphoriumtea.blogspot.com.

Saskia Fernando Gallery. Artistas locais como Prageeth Manohansa e Dumith Kulasekara, descobertos no rebuscado espaço do galerista Fernando, agora atraem a atenção de turistas curiosos e de marchands londrinos. Os preços, que começam em 20 mil rupias (R$ 300), também estão subindo. Mais: saskiafernandogallery.com. /CYNTHIA ROSENFELD, THE NEW YORK TIMES

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.