'Road movie' entre vinhas e olivais

Pela Autoestrada do Sul chega-se aos celebrados moscatéis e azeites. No caminho, horizonte em tons de verde

Roberto Almeida, O Estado de S.Paulo

15 Setembro 2009 | 03h15

As estradas portuguesas têm tudo para compor o cenário de um road movie de primeira, com bons lances de aventura, romance e comédia. A paisagem é a das fileiras de vinhas e de olivais, que pintam em dois tons de verde as planícies da Península de Setúbal e do Alentejo.  

 

EM OUTROS TEMPOS - Castelo de Palmela, hoje uma pousada, tem vista deslumbrante da planície lusa (à esquerda); arquitetura mourisca e azulejos do século 13 se destacam no palácio da Quinta da Bacalhôa

Do topo de torres de alta tensão, cegonhas em seus ninhos observam o viajante que risca a linha-mestra do roteiro, a Autoestrada do Sul (A-2). Ela começa na Ponte 25 de Abril, em Lisboa, e chega até a cidade histórica de Évora, traçando uma reta entre os Rios Tejo e Sado.

 

Veja também:

linkRumo ao sabor do Alentejo

linkDicionário para ter sempre à mão (e à mesa)

linkPatrimônio da Unesco com agito de cidade universitária

Sedes das vinícolas salpicam o trajeto, em pequenos desvios da A-2. O primeiro, ainda em Setúbal, é a saída da auto-estrada rumo à Vila Nogueira do Azeitão pela Nacional 10 (N-10). Simples, rápido e compensador. Em Azeitão, o queijo é típico - com denominação de origem controlada -, as tortas, deliciosas e os vinhos moscatéis, famosos no mundo inteiro.

Ali já há duas opções de vinícola para visitar. A tradicional José Maria da Fonseca, com enoturismo caprichado - uma catedral da conhecida marca Periquita -, em que os moscatéis são imperdíveis. E a Quinta da Bacalhôa, dona de um esplêndido palácio de arquitetura mourisca, oliveiras milenares e azulejos que datam do século 13. É preciso agendar o tour.

Nada mau para um primeiro dia, que precisa ser agraciado com uma ótima noite. A pousada dentro do Castelo de Palmela, a poucos quilômetros dali, é parada obrigatória. Simboliza com perfeição a conquista árabe de Portugal e a retomada cristã, com vista deslumbrante da planície lusa. Relaxar fica fácil em meio a tanta paz, mas quem quiser pode fazer, a partir dali, um tour de jipe até o Parque Natural da Arrábida.

Um segundo dia merece rumos ainda mais ao sul, em direção ao Alentejo. Retornando à A-2, uma viagem de pouco mais de duas horas com saída pela N-123 leva a vinícolas modernas com ares de antigamente. A Herdade dos Grous cativa pela simpatia fora do comum e pela possibilidade de fazer um passeio de balão. E a Herdade da Malhadinha Nova, com um luxuoso spa, vinhos e azeites especialíssimos, apura o paladar de quem chega a Albernôa.

Passar a noite em uma das vinícolas é interessante pelos programas disponíveis. Desde participar da colheita e da produção até se divertir no preparo de um pão típico alentejano. Seus passeios a cavalo, de bicicleta ou de quadriciclo estão incluídos e valem a pena, porque abraçam toda a propriedade.

Para uma noite romântica, seus restaurantes sofisticados revisitam os pratos locais com toques modernos. A sobremesa fica por conta da saborosa sericaia, torta simples e fofinha feita com ovos. O vinho é fresquíssimo e figura nas listas dos melhores do mundo.

A terceira parte da viagem leva até Évora, capital do Alentejo, com uma parada essencial. Rumo ao norte pela E-802 chega-se até Reguengos de Monsaraz, terra de um dos melhores azeites do mundo e lar da Herdade do Esporão, belíssima propriedade, fundada em 1267. A torre de observação, a famosa Torre do Esporão, data do século 15. Antes símbolo de poderio militar, hoje abriga um museu arqueológico.

Como não há hotel dentro da Herdade do Esporão, a ideia é seguir mais ao norte e se hospedar em Évora. A cidade, erguida entre muros medievais, é linda e pacata. Universitários se divertem por lá enquanto os viajantes podem descansar e se esbaldar em história, entre igrejas sensacionais, com interiores repletos de azulejos seculares.

 

AO VOLANTE

linkVila Nogueira do Azeitão: a 34 km de Lisboa, pela A-2 e a N-10. Lá estão José Maria da Fonseca (www.jmf.pt) e Quinta da Bacalhôa (www.bacalhoa.com)

linkPalmela: a 41 km da capital, passando por Vila Nogueira (N-10) ou seguindo pela A-2 e N-252. Fique na pousada do Castelo de Palmela

linkAlbernôa: a 213 km de Lisboa, usando a A-2, com saída pela E-802. Turismo rural nas Herdades dos Grous (www.herdadedosgrous.com) e da Malhadinha Nova (www.malhadinhanova.pt)

linkReguengos de Monsaraz: a 180 km da capital, pela A-2 e a A-6. Por lá, a Herdade do Esporão (www.esporao.com)

linkÉvora: a 133 km de Lisboa. Para ir direto, siga pela A-2 e, depois, use A-6 e N-114. Por Albernôa, são 100 km pela E-802. Lar do Pêra Manca (www.cartuxa.pt)

Mais conteúdo sobre:
Viagem & Aventura Portugal Alentejo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.