Renato Jakitas/Estadão
Renato Jakitas/Estadão

Visitando Fátima e Alcobaça a bordo de um motorhome

Santuário de Fátima e Mosteiro Santa Maria de Alcobaça fazem parte de um roteiro de fé em Portugal

Renato Jakitas, O Estado de S.Paulo

02 de abril de 2019 | 04h30

Depois de visitar o Mosteiro da Batalha, pisei fundo para dar conta de Fátima e Alcobaça.

Fátima é uma cidade católica clássica, com romeiros de muitos locais e agenda extensa de penitência. Confesso que esperava mais do Santuário de Fátima, mas a verdade é que a basílica de Aparecida é muito mais suntuosa, por isso a decepção. De hora em hora, há a celebração de uma pequena liturgia; veja mais informações no site fatima.pt. O caminho para o monte onde os meninos pastores tiveram as visões de Nossa Senhora de Fátima a partir de 1915 estava lá. Mas o frio e o cansaço da viagem me encontraram e resolvi voltar para o veículo.

De lá, foram mais 30 minutos até chegar a Alcobaça, que também abriga um mosteiro. O Santa Maria de Alcobaça, patrimônio da humanidade cuja construção começou em 1178, é o primeiro ensaio da arquitetura gótica em Portugal. A fachada atual, contudo, é do século 18. No centro do mosteiro, há um jardim repleto de laranjeiras. Acesse o mosteiroalcobaca.gov.pt para ver uma relação de tours temáticos incluídos no ingresso; programe-se.

Gostei particularmente não só do prédio, mas da Praça 25 de Abril, em frente ao Mosteiro, com lojas de produtos de decoração típicos, que usam a chita de Alcobaça (tecido florido em algodão) para confeccionar roupas, calçados e até abajures. A mais portentosa é a Made in Alcobaça – para ter uma amostra, veja no Instagram @madeinalcobaca.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.