Roteiro de galerias segue para o sudeste

Até pouco tempo atrás, estúdios e galerias de arte se concentravam no norte e no leste de Londres. Shoreditch, um dos bairros mais modernos e badalados da cidade, cresceu muito por causa de artistas que montaram seus negócios em galpões e armazéns de antigas fábricas naquela área. Com o tempo, o bairro se tornou supervalorizado e muitos tiveram de se mudar para lugares que oferecessem aluguéis mais em conta. Foi assim que, no sudeste da cidade, em bairros como South Bermondsey, Camberwell e Peckham, começaram a surgir pequenos estúdios e galerias que estão atraindo cada vez mais moradores e turistas.

Ana Gasston, O Estado de S.Paulo

29 Maio 2012 | 03h09

O carro-chefe do movimento é a South London Gallery (southlondongallery.org), localizada em Peckham Road, que inclui o fantástico café e restaurante N.º 67, cuja especialidade é o full spanglish, versão espanhola do tradicional english breakfast. A programação intensa traz artistas modernos de diferentes nacionalidades, cujas obras interagem diretamente com o espaço, e muitas exibições têm sido um sucesso de público e crítica.

A 15 minutos dali, perto da estação de trem Peckham Rye, está o Bussey Building (thebusseybuilding.com), uma velha e imensa fábrica que hoje abriga alguns estúdios e galerias. Uma porta em forma de arco e um corredor estreito levam ao pátio decorado com grafites incríveis de artistas como Roa e Phlegm. Já vale a visita.

No primeiro andar está o CLF Art Cafe, com palco, telão e pista de dança, onde ocorrem eventos de segunda-feira a sábado, até tarde. Do outro lado do prédio, na Copeland Road, fica a entrada que leva aos estúdios e galerias. Vale a pena passar na Hanna Barry Gallery, um dos espaços mais bem sucedidos dali e responsável pelo projeto Bold Tendencies (boldtendencies.com), uma exposição de esculturas realizada todo verão, de julho ao fim de setembro.

Entre a South London Gallery e o Bussey Building há galerias menores como a NewGallery London ou a Sassoon Gallery. Pequenos, são espaços que não abrem regularmente, e o melhor jeito de conhecê-los é em um tour oferecido pelo South London Art Map (southlondonartmap.com), no primeiro sábado ou na última sexta-feira de cada mês.

*É jornalista, paulistana e vive em Londres há 10 anos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.