Ruas aromatizadas por especiarias

Cenário: Gabriel Pinheiro

O Estado de S.Paulo

17 Junho 2014 | 02h09

Simplesmente não dá para ficar indiferente à culinária sul-africana. A mistura de diversas influências orientais e ocidentais criou um caldeirão único de sabores que pode surpreender - e muito. Em Durban, o curry reluz na maioria dos pratos. A grande quantidade de indianos que veio para a região explica sua onipresença no menu. Pimenta com limão, gengibre em diversas versões e temperos agridoces que desafiam a imaginação podem ser encontrados em uma volta rápida pelas ruas do centro, que às vezes ficam impregnadas por tais aromas característicos.

Carne vermelha é item fundamental dos cardápios. Se você é um entusiasta e imaginou uma bela picanha, pense de novo: prato nobre é um bom cordeiro, temperado com muito curry. E dá-lhe água para acompanhar.

Na Cidade do Cabo, na comunidade de Langa, a cerca de 15 minutos do centro, você pode ter uma experiência bem diferente com a carne do animal. Lá, as mulheres assam cabeça de carneiro na rua. "Todos amam, ricos e pobres. É delicioso", garante um morador.

O cheiro do "churrasquinho" de smiley - assim chamado por eles graças à feição sorridente do bicho - fica impregnado nas roupas em pouco tempo. O preço está em conta: 50 rands (aproximadamente R$ 10). "Com bastante carne", diz outro. Para aguentar em frente à fogueira, nada de protetor solar: as mulheres passam somente pó de carvalho e água em seus rostos. Mas, pela tradição, elas não comem a iguaria, permitida apenas a homens e crianças.

Fiquei tentado a experimentar o prato, mas confesso: olhar aquelas pilhas de cabeças amontoadas no chão fez a vontade passar. Em Durban, encontrei os smileys já limpos, vendidos em mercados municipais por 20 rands a mais. Opa, agora sim já é de se pensar. E aí, quem me acompanha à mesa?

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.