Rumo a Kualoa Ranch, onde tudo acontece

Se alguém quisesse explicar onde fica o coração da série, não teria grandes dificuldades: Kualoa Ranch (www.kualoa.com). Antes de chegar até lá, no entanto, ainda há muito para ver. O grupo visita um sítio na beira de um lago, com um singelo píer de madeira. Sua utilidade sempre foi servir de cenário para fotos de casamentos, mas com a mágica Lost ele virou estacionamento para o famoso submarino, fundamental para a trama na segunda e na sexta temporadas.

OAHU, O Estado de S.Paulo

04 Maio 2010 | 03h47

A palavra mágica é mais que apropriada: o aparelho cenográfico era feito de fibra de vidro e naquele trecho o nível da água não chega a bater no joelho. No local também foram gravadas as cenas do casamento de Jin e Sun.

Para a tristeza dos fanáticos pela série (mas com a justíssima necessidade de proteger a natureza da região), o submarino teve de ser removido. O mesmo ocorreu com parte das estações Dharma. "Já aquela estátua de um pé gigante foi feita com computação gráfica", explica o guia.

A parte mais interessante do Lost Tour pode tranquilamente ser feita de carro. Além da gasolina ser barata, vale a pena ir parando nas praias pelo caminho - destaque para as deslumbrantes Sunset Beach, Haleiwa, Hanauma Bay e Sandy Beach.

Saindo de Kualoa Ranch, a próxima parada é Waymea Valley, um parque no melhor estilo Jardim Botânico perto de Pipeline, onde quebram as melhores ondas de North Shore. Depois de uma trilha fácil de 15 minutos, chega-se em Waymea Falls, a famosa cachoeira de Lost. É possível nadar lá - monitores oferecem, de graça, boias e pranchas para os mais inseguros. Na reta fina da H-1, também conhecida como Kamehameha Hwy, estão dois pontos centrais da trama.

Bem em frente à praia de Mokule"ia, na ponta do extremo norte da ilha, fica a famosa vila Dharma, depois dominada pelos Outros. O lugar é um camping da ACM. As casinhas e o coreto estão lá, mas são habitados por crianças, adolescentes e suas famílias. O curioso é que foi bem ali, na praia em frente, que foram feitas as cenas da queda do avião. Quem viu a série imagina que os dois lugares são separados por horas de caminhada. / P.V.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.