Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão
PUBLICIDADE

Saiba como fazer o trajeto a pé pela Estrada de Santos e como se preparar

Nossa reportagem reuniu algumas dicas do que ver e de como fazer o passeio pela Caminhos do Mar

Ana Lourenço, O Estado de S.Paulo

07 de fevereiro de 2020 | 05h50

Se agora é possível percorrer sozinho o caminho litorâneo por onde passou D. Pedro I às vésperas de proclamar a Independência do Brasil, em 1822, é também verdade que alguns cuidados a mais devem ser tomados. Reunimos aqui, então, dicas de como fazer o passeio, do que levar e do que não deixar de ver.

Check-list

1. Sem perrengue

Coloque na mochila repelente, protetor solar, boné e óculos de sol. Água e lanche são importantes – não há lanchonetes no trajeto. Leve também um saquinho para trazer de volta o lixo que produzir: o descarte na estrada é proibido.

2. Prevenir é melhor

Use calçados e roupas confortáveis para caminhar. Mas leve um band-aid e antisséptico por precaução. Tenha também uma capa de chuva para eventualidades. 

3. Extras 

Leve celular e máquina fotográfica carregados, mas vale ter um carregador portátil. Lembre-se que o sinal ao longo do caminho é intermitente: por isso, deixe a volta já combinada: se for usar carros de aplicativos, use a função agendamento para não correr riscos.

Como ir (e voltar)

Como reservar: compre o ingresso (R$ 32) no site da Fundação Florestal (ingressosparquespaulistas.com.br); grátis para pessoas acima de 60 anos e crianças de até 12 anos. Entrada por São Bernardo do Campo (Rodovia SP-148; Estrada Caminho do Mar, km 42) ou por Cubatão (km 51). De 4ª a dom., das 8h às 11h30 – saídas a cada 30 minutos.

 

Transporte: a Altur (alturcicloturismo@gmail.com; 11-99829-7535) tem saídas do Centro Cultural São Paulo, perto do metrô Vergueiro. O preço (R$ 150) dá direito a kit lanche e ingresso. Na Aventura SP, o valor (R$ 145) inclui apenas ingresso; partida do metrô Sumaré. Na Passeios Baratos em SP, a saída (R$ 140) dá direito a lanche e ingresso. 

Atente-se para

Fauna. É possível observar muitas espécies no passeio, como esse falcão, que ganhou dos guias o apelido de Isabela.

Flora. Entre os vários tipos de flores da trilha, minha preferida foi a caninha do brejo, que guarda água.

Paisagem. Não deixe de aprecisar o cenário. A sacada do Rancho da Maioridade é um dos bons pontos de observação.

Imagens. Faça composições com natureza e construções. No Pouso Paranapiacaba, a janela pode servir de moldura.

Informações. Ao longo de toda a estrada há plaquinhas explicativas. Vale a pena ler e conhecer mais da história local

Tudo o que sabemos sobre:
turismoLitoral

Encontrou algum erro? Entre em contato

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.