Saiba mais

22 Junho 2010 | 02h19

Atrativo. Gigantescas esculturas feitas em ouro - bem protegidas por grossos vidros, diga-se - enfeitam o hall do Cassino Grand Lisboa. Mesmo quem não pretende apostar suas fichas por lá acaba parando para observar a impressionante riqueza de detalhes das peças.

 

 

Imigração: É divertido desembarcar em Macau e encontrar todas as placas para a imigração escritas em português. Só não espere que o agente fale alguma coisa em nosso idioma. Brasileiros não precisam de visto.

Moeda: A pataca de Macau vale um pouco menos que o dólar de Hong Kong na conversão ao dólar americano. Em comparação ao real, 1 pataca equivale a R$ 0,20.

Melhor época: Em geral, as temperaturas são agradáveis, em torno dos 30 graus no verão e 10 graus no inverno. Mas as monções de verão podem ser um problema: melhor ir no outono ou primavera. Em fevereiro, o feriado do Ano Novo Chinês deixa tudo lotadíssimo.

Rotas a pé: O site da Direção dos Serviços de Turismo de Macau (www.macautourism.gov.mo/pt, em português) traz diversas opções de roteiros para serem feitos a pé em Macau. Basta escolher o do seu interesse e imprimir o mapa. Dá para combinar dois ou até três roteiros com facilidade em um mesmo dia. Tudo vai depender de sua disposição para caminhar.

Pacotes: Confira na internet (blog.estadao.com.br/viagem) opções de pacotes para Macau

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.