Four Seasons/Divulgação
Four Seasons/Divulgação

Saiba quais são os melhores hotéis de luxo do mundo

Cerimônia do prêmio Virtuoso Best of the Best entregou 10 títulos ontem em Las Vegas, nos Estados Unidos

Redação, O Estado de S.Paulo

15 de agosto de 2019 | 17h05

No mundo da hotelaria de luxo, toda preocupação com detalhes e qualidade é pouca para satisfazer uma clientela exigente, que não se surpreende com facilidade. Imagine então o que deve fazer um estabelecimento desse nicho para ser eleito um dos melhores do mundo. Ontem, em Las Vegas (Estados Unidos), o prêmio Virtuoso Best of the Best nomeou os campeões em dez categorias.

A premiação, que ocorre todos os anos nos EUA, reúne empresas de hotéis, linhas de cruzeiros, operadoras de turismo e consultores de viagem, no evento que é considerado o mais importante da indústria do luxo. À frente dela está a Virtuoso, uma rede global de agências de viagens e experiências de luxo com mais de 20 mil consultores que atuam em 50 países em todos os continentes.

Entre as categorias, há algumas dedicadas a experiências gastronômicas ou a programas de bem-estar, por exemplo. Mas nenhuma tem tanto prestígio quanto o prêmio de Hotel do Ano. 

Veja a seguir os 10 hotéis premiados em 2019.

Hotel do Ano: Four Seasons Hotel George V (Paris, França)

O grande vencedor tem serviço impecável, uma expressão da excelência da hospitalidade de luxo. Seus três restaurantes são estrelados pelo Guia Michelin: o Le George e o L’Orangerie, ambos com uma estrela, e o Le Cinq, com três estrelas. Decorado com obras de arte e antiguidades, ele acaba de estrear um spa com piscina coberta e programas de fitness que incluem um circuito de corrida que percorre lugares icônicos da capital francesa, como o Museu do Louvre e a Torre Eiffel.

Melhor Design: Rosewood Hong Kong (Hong Kong, China)

Com uma torre de vidro que se destaca em Victoria Dockside, área da orla de Hong Kong com perfil descolado, o Rosewood chamou a atenção da Virtuoso pelo equilíbrio entre as estéticas ocidental e asiática. A decoração combina estampas de baguá chinês em tapetes e paredes e pendentes de iluminação franceses forradas de malha de cobre. Obras de Damien Hirst e uma escultura de um elefante indiano em tamanho real completam o cenário.

Melhor Experiência Gastronômica: La Reserve Paris Hotel & Spa, com o Restaurante Le Gabriel (Paris, França)

O Le Gabriel ocupa uma sala de jantar dourada dentro da mansão do século 19 que abriga o hotel La Reserve. Com duas estrelas Michelin, o restaurante traz versões modernas de clássicos franceses, com acento bretão, preparadas pelo chef Jérôme Banctel. Pombo com cacau e trigo sarraceno e coração de alcachofra com coentro estão no menu.

Melhor Bar: Four Seasons Hotel at The Surf Club, com o Le Sirenuse Champagne Bar (Surfside, Flórida, EUA)

O prêmio valoriza bares de hotel que sirvam drinques inovadores e sirvam como ponto de encontro, em ambientes “para ver e ser visto”. O vencedor emula, em plena Flórida, o clima dos bares de aperitivo da Costa Amalfitana. Um lounge que ocupa um antigo salão de baile serve grappas, licores e coquetéis em copos venezianos feitos artesanalmente.

Liderança em Turismo Sustentável: Emirates One&Only Wolgan Valley (Wolgan Valley, Austrália)

Em uma fazenda de 7 mil hectares resgatada da degradação, o resort reúne em seus jardins cangurus, wombats e outros animais selvagens. As experiências se concentram em atividades ao ar livre, como passeios guiados em áreas repletas de vagalumes, plantio de árvores e observação de animais noturnos ou do céu cheio de estrelas. A certificação internacional de carbono zero foi a primeira dada no mundo a um resort. 

Melhor Programa Familiar: Grand Velas Riviera Maya (Playa del Carmen, México)

As famílias participam de atividades como passeios a cavalo, bodyboard e mergulho com snorkel; depois, relaxam na piscina ou no spa, que tem um menu de tratamento para crianças. O Kids’ Club oferece contação de histórias, filmes e jogos para crianças com idades entre 4 a 12 anos; para os adolescentes, há karaokê, mesas de bilhar e pistas de dança. As acomodações familiares ficam perto da piscina e da praia, e um "baby concierge" tem de tudo, de carrinhos a mamadeiras, além de providenciar babás, quando necessário.

Melhor Programa de Bem-Estar: Miraval Arizona Resort & Spa (Tucson, Arizona, EUA)

O Miraval ajudou a criar o conceito atual de spa resort e a unidade conceito da rede continua a ditar tendências. Os hóspedes escolhem entre mais de 100 workshops, aulas e atividades que incluem culinária, exercícios em grupo ou invididuais, apicultura e até mesmo equinoterapia. Refeições gourmet saudáveis e sessões de massagem e acupuntura ajudam os hóspedes a seguir uma linha de bem-estar.

Melhor Novato (adicionado ao portfólio da rede Virtuoso após abril de 2018): Montage Los Cabos (Cabo San Lucas, México)

Este retiro contemporâneo oferece uma abundância de experiências memoráveis. Os hóspedes têm duas opções de restaurantes para beber e jantar, podem usufruir de um campo de golfe com 18 buracos, desfrutar de tratamentos de spa inspirados em Baja e praticar snorkel e paddleboard na baía de Santa Maria – um santuário marinho e uma das poucas praias aptas ao nado na região.

Melhor Embaixador de Hotéis Virtuoso: Carlos Quereda, Querido Representation Co. (Espanha)

O prêmio é dado a um executivo (que não seja gerente geral ou managing director) que veste a camisa da Virtuoso e se empenha para promover a marca, seus consultores e propriedades. Quereda está há 10 anos no Marbella Club, na Costa do Sol, na Espanha, onde transforma os hóspedes e funcionários em amigos douradouros do hotel. Um craque em hospitalidade, que agrada viajantes que buscam propriedades com alma própria.

Hotelier do Ano: Amanda Hyndman, Mandarin Oriental Hyde Park (Londres, Inglaterra)

A gerente premiada tem um currículo invejável: em 30 anos de carreira, passou por alguns dos hotéis mais respeitados do mundo, incluindo o flagship da rede Mandarin em Bangkok, onde foi a primeira mulher a ocupar o cargo de gerente-geral. Hyndman chegou à propriedade do Hyde Park em junho de 2018, uma semana após a conclusão de uma reforma de dois anos e dois dias antes de um incêndio fechar o hotel. Durante o tempo de reformas, que durou nove meses, a executiva fez movimentações de equipe e conseguiu resistir sem fazer qualquer demissão. 

Tudo o que sabemos sobre:
hotelturismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.