Emanuel Tadeu
Em Campina Grande, o São João 2020 será realizado em outubro; em junho, lives dão o clima junino Emanuel Tadeu

São João 2020: festa junina este ano, só virtual

Campina Grande adiou para outubro, mas a maior parte das cidades cancelou os festejos. No entanto, as lives juninas começam já esta semana; veja a programação

Nathalia Molina e Levy Teles, Especiais para o Estado

02 de junho de 2020 | 01h30

“No mês de junho tenho Deus por testemunho, com meu violão em punho, vou fazer meu São João.” Gravados por Elba Ramalho, os versos de Moraes Moreira na canção São João na Estrada ganham outra dimensão em 2020. A cantora, cuja imagem praticamente se mistura à das festas populares do meio do ano, vive um junho diferente. “Estarei num outro tipo de estrada e, quem sabe, atingindo mais gente ainda”, declarou Elba ao Estadão. Ela participa no dia 23 de uma live promovida por Campina Grande, para comemorar o São João virtual.

A cidade paraibana, dona de uma das principais festas juninas do País, adiou o evento para outubro, em vez de cancelar, como ocorreu em outros municípios que tradicionalmente realizam festejos em junho. Eles foram suspensos para impedir aglomerações e conter o avanço do coronavírus no País. “É muito difícil sob todos os aspectos. O Nordeste vive e respira São João, mas a pandemia é maior que tudo no momento”, afirmou Elba. “Vou fazer o meu São João do jeito que for possível e vou tentar compartilhar ao máximo. As nossas vidas mudaram, o mundo está mudando e a festa vai ter de mudar.”

Celebrações de São João não estão previstas neste mês de junho, mas pode preparar o bolo de milho e o quentão que a animação está garantida na quarentena. Não apenas quem faz os eventos todo ano tem de se adaptar à realidade atual. O público também vai aprender a dançar em um novo arraial: o virtual.

Festa junina em casa

A festa virtual de Campina Grande – assim como a promovida por Mossoró (RN) – tem a intenção de arrecadar doações para as famílias afetadas pelo cancelamento dos eventos, fundamentais para a economia dos dois municípios. “O nordestino passou por muitas dificuldades, mas é alegre. Sempre faz acontecer, mesmo nas dificuldades. Teremos um mês atípico, mas com muita esperança, em que as famílias irão se reunir, com culinária à base de milho, em volta da mesa para ver as lives dos artistas”, diz Rosália Lucas, secretária de Turismo de Campina Grande. No Parque do Povo, espaço que concentra as atrações, foi registrada a entrada de 1,8 milhão de visitantes em 2019; na cidade, circularam em torno de 2,5 milhões de pessoas.

O Mossoró Cidade Junina, realizado na cidade do Rio Grande do Norte, é o terceiro maior São João do Nordeste, com um público de cerca de 1 milhão de pessoas. “Não podemos adiar a data da festa. Nosso calendário é repleto de outras atividades culturais”, diz Isaura Rosado, secretária municipal de Cultura. As transmissões em junho prometem lembrar os arraiais.

Caruaru, por sua vez, não faz live musical em junho, mas, sim, uma ação solidária. “O São João na nossa cidade movimenta a economia e a vida de muita gente, como artistas locais que esperam o ano inteiro”, afirma Raquel Lyra, prefeita de Caruaru. A festa reúne cerca de 3 milhões de pessoas todo ano e tem entre as tradições o desfile dos bacamarteiros (homenagem aos brasileiros que lutaram na Guerra do Paraguai, no século 19) e as comidas gigantes. O bolo de milho, por exemplo, é preparado há quase 40 anos; em 2019, teve 11,5 metros de comprimento e levou 1,2 mil ovos e 50 quilos de farinha de trigo. 

Pelo saojoaocaruarusolidario.com.br, é possível doar alimentos e produtos de higiene para os trabalhadores que neste ano não terão a renda da festa, que promove cerca de 6 mil empregos diretos e 12 mil indiretos. “É um momento de reunião, de celebrar a colheita do milho, de forró. Mas, hoje, o que a gente mais preza é pela vida da população e cancelar neste momento é fundamental para resguardar a saúde de todos e garantir uma festa ainda mais linda no futuro”, diz a prefeita.

Marília Mendonça esteve na festa de Caruaru em 2019. “São festas tradicionais e que sempre estão na minha agenda. Eu tenho um carinho muito especial pelo Norte e Nordeste. Foi lá que a minha carreira começou de verdade e só depois fui para outras regiões do Brasil, eu já disse isso em muitas entrevistas e falo sempre porque sou muito grata ao povo nordestino”, diz a cantora, que não tem prevista uma transmissão com tema de São João, mas faz a Live das Patroas, no dia 14, com a dupla Maiara e Maraisa, nos nossos canais delas no YouTube.

Promovido pela plataforma Sua Música, o São João de Todos será digital, com 30 atrações confirmadas. Trata-se de um canal de divulgação de artistas, especialmente nordestinos, que vêm fazendo lives durante a quarentena. Em junho, as lives serão de quinta a domingo – Mastruz com Leite abre a programação nesta quinta-feira (4). “Decidimos conectar todo o País em uma única grande celebração junina”, diz Marcela d’Arrochella, diretora comercial da Sua Música. Um cenário junino foi montado no Sesc Iparana, em Fortaleza, para as lives, segundo a organização, respeitando as normas de higiene e distanciamento.

Sem festejos oficiais

Na Bahia, o São João foi cancelado em todas as cidades. No fim de abril, o governador Rui Costa decretou o mês sem festa, para tentar conter a contaminação pelo coronavírus. O feriado regional de 24 de junho foi antecipado para 25 de maio, uma segunda-feira, junto com a independência do Estado, folga transferida para 26 de maio, num feriadão para inibir a circulação de pessoas.

A data pode ter sido antecipada, mas a festa não deixou de acontecer, ainda que timidamente. Na casa de Vanessa Schuerz, que mora em Salvador, foi tudo de improviso. “Acordamos na segunda com a coisa de que era São João. Decidimos enfeitar a casa e comprar as comidas”, conta. Um móvel, que estava para ser descartado, virou uma fogueira, montada na frente da porta de casa. Houve o momento para os fogos de artifício, licor e bolo de milho, tradicionais da festa na região Nordeste. “Foi um paleativo”, diz Vanessa.

Em Cruz das Almas, cidade com uma das festas mais tradicionais na Bahia, Marilene Silva todo ano se prepara bem antes de junho para produzir seu “licor diferenciado”, como diz: “Deixo ele em infusão, enterro por seis meses desenterro. Daí faço o licor. Assim rle fica mais consistente e você sente mais o sabor da fruta”. O resultado, mais consistente e com apurado sabor de de tamarindo, jenipapo, maracujá ou limão. Ela vende no São João, ao lado de comidas juninas típicas também preparadas por ela, como canjica, mungunzá e bolo de carimã.

Apesar do prejuízo financeiro, Dona Marilene acredita que a decisão mais sábia é respeitar a quarentena. Por isso, pretende passar o São João em casa, apenas com marido e filhos. “É um momento difícil. Claro que queria ter vendido mais, uns 10 mil litros. A economia é importante, mas a vida é mais ainda”, afirma.

Bumba meu boi no Maranhão

O forró é o ritmo predominante nas lives do calendário junino, mas não só. Ivete Sangalo e Bell Marques têm apresentações previstas, e o Maranhão vai investir em apresentações tradicionais. Tambor de crioula, bumba meu boi e danças regionais, normalmente presentes no festejo de São Luís, estão na programação virtual prevista pelo governo do Estado para junho. O São João é a festa mais popular do Maranhão. Em 2019, foram em torno de 1,3 mil apresentações durante o período das festas e a ocupação hoteleira em São Luís ficou em 70%.

“Cancelar o São João do Maranhão é como cancelar a alegria. Milhares de pessoas aguardam essa época, e é difícil passar por junho sem essa grande celebração popular. Mas a prioridade é com o cuidado e a saúde das pessoas”, afirma Anderson Lindoso, secretário estadual da Cultura. “No entanto, o festejo vai ocorrer de forma virtual. Estamos preparando uma programação que mantenha vivo esse espírito junino. E quem sabe fazer um São João do Maranhão marcado pela interatividade e outras formas de comunicação.”

Já em São Paulo, o Centro de Tradições Nordestinas (CTN), que faz uma celebração arretada todo ano, decidiu adiar sua festa – ainda sem data. Mas o São João de Nóis Tudim deve ter uma versão virtual, prevista para o dia 28. “A proposta é que o público mate a saudade de tudo o que há na nossa festa junina, só que online”, diz Christiane Abreu, presidente do CTN. Já quermesses clássicas da cidade, como as das igrejas do Calvário, no Sumaré, e Consolação, no centro, não devem ser realizadas neste ano.

PROGRAMAÇÃO DE LIVES JUNINAS

Campina Grande

A Medow Entretenimento, empresa gestora do festejo em Campina Grande, criou o projeto O São João de Campina em Casa, com canal no YouTube e perfil @osaojoaodecampina no Instagram. Serão seis transmissões, nos dias 23, 24 e 27. Elba Ramalho e Luan Santana já confirmaram presença. O público será convidado a fazer doações, destinadas às famílias dos barraqueiros e ambulantes cadastrados na festa junina da cidade, adiada para outubro em 2020.

 

Caruaru

A pernambucana faz um São João Solidário, para arrecadar fundos para a doação de cestas básicas para a população afetada pelo cancelamento da festa. Entre artistas, bacamarteiros, barraqueiros, artesãos e prestadores de serviços em geral, são 6 mil trabalhadores diretos e 12 mil indiretos.

 

Mossoró

Como ocorre nas versões físicas, a festa na cidade do Rio Grande do Norte é aberta com o Pingo da Mei Dia (6 de junho, ao meio-dia) e encerrada com o Boca da Noite (27 de junho, às 18 horas). Participam André Luvi, Renata Falcão, Everaldo Rodrigues, Forró com Ela, Nataly Vox, João Neto Pegadão, entre outros convidados. As lives, promovidas pela prefeitura, podem ser acompanhadas em prefeiturademossoro.com.br, no Instagram nos perfis @prefeiturademossoro e @mossorocidadejunina e na página da prefeitura no Facebook.

 

São Luís

YouTube, Instagram @cultura.maranhao e Spotify são algumas das plataformas da Secretaria de Estado da Cultura do Maranhão (Secma) nas quais o público poderá acompanhar a celebração do São João maranhense de casa. Apresentações de grupos de cultura popular, exposições, entrevistas e rodas de conversa devem estar na programação virtual, prevista para a segunda semana de junho, ainda está sendo montada e será divulgada nas redes sociais da secretaria e no site cultura.ma.gov.br.

 

Elba Ramalho

Entre as apresentações virtuais da cantora em junho, Elba Ramalho pretende fazer uma live própria no dia 19 (ainda a ser confirmada; acompanhe as novidades pelo instagram @elbaramalho. No dia 23, estará em Campina Grande para a transmissão do São João da cidade.

 

Ivete Sangalo

Direto da sua casa na Praia do Forte, Ivete Sangalo prepara um grande arraial virtual para seus fãs, no dia 20 (horário ainda a ser definido). Durante a transmissão da cantora, que poderá ser vista no canal da cantora no YouTube e Instagram @ivetesangalo, haverá espaço para pedidos de doações a instituições de caridade.

 

Bell Marques

Depois de ter sido embaixador do São João da Thay, no Maranhão, no ano passado, Bell faz sua festa em clima junino com a participação de Thaynara OG. Bell tem quatro álbuns de forró, um deles no começo da carreira. O cantor faz o show em seu canal do YouTube, no dia 6, às 18 horas.

 

São João de Todos

As participações confirmadas na festa virtual incluem Mastruz com Leite (dia 4), Banda Magníficos (dia 12), Victor Fernandes (dia 21), Iara Pâmela (dia 24), Solange Almeida (dia 27) e Limão com Mel (dia 29). Entre 4 e 30 de junho, as lives são realizadas de quinta a domingo nós canais digitais do Sua Música e de parceiros: 5ª e 6ª, 19h/20h30 e 21h/22h30; sáb., 17h30/19h e 19h30/21h; dom., 17h/18h30 e 19h/20h30.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Elba Ramalho: 'Espero que possamos nos abraçar e celebrar o São João'

Figura presente nas festas juninas do Nordeste, a cantora abre os festejos virtuais de Campina Grande dia 23 de junho

Nathalia Molina, Especial para o Estado

02 de junho de 2020 | 01h25

Todo ano Elba Ramalho faz questão de se apresentar nas principais festas de São João. Estrela máxima das celebrações nordestinas, a cantora tem seus shows marcados em datas significativas dos festejos de Campina Grande, na Paraíba, e de Caruaru, em Pernambuco: por exemplo, na abertura, como seria em 2020 na cidade pernambucana, ou na véspera do Dia de São de João (24 de junho), data inicialmente marcada para seu espetáculo neste ano na Paraíba.

A cantora guarda da infância as primeiras referências musicais, do que ouvia no São João comemorado em família. "É a festa da fartura, do milho, das comidas típicas, da dança, das quadrilhas e principalmente da música, do forró e dos ritmos nordestinos.", diz Elba.

Por causa da pandemia, para evitar o avanço do coronavírus, as manifestações populares foram canceladas em várias partes do País. Com as festas juninas suspensas, o jeito foi criar uma nova forma de marcar o mês, com arraiais virtuais. Em Campina Grande, além disso, a celebração em si não foi suspensa, e sim adiada para outubro. Elba já confirmou presença na comemoração paraiabana, tanto online quanto ao vivo. "Tomara que possamos nos abraçar e celebrar o São João em outubro."

Leia abaixo o que Elba contou ao Estado sobre sua rotina na quarentena e sobre como está sendo a ideia de passar um junho sem São João.

O que significa o São João do Nordeste para você?

Para mim o São João é a grande festa da família. É a festa dos santos da tradição católica. A fogueira foi o sinal de Santa Isabel para Maria, mãe de Jesus. É a festa da fartura, do milho, das comidas típicas, da dança, das quadrilhas e principalmente da música, do forró e dos ritmos nordestinos. Definitivamente, uma festa que envolve muitos aspectos culturais e movimenta a economia de determinadas cidades durante o mês inteiro. O meu show em Caruaru abriria os festejos da cidade. Em Campina Grande seria no dia 23 de junho. A minha primeira referência musical, da minha infância, vem justamente das festas juninas. Eu e meus irmãos esperávamos o ano inteiro pelo mês de junho.

Como está sendo a ideia de junho sem festa junina?

É muito difícil sob todos os aspectos. O carnaval dura quatro dias, os festejos de São João duram o mês inteiro. O Nordeste vive e respira São João, mas a pandemia é maior que tudo no momento. É claro que vai ser diferente, mas vou fazer o meu São João do jeito que for possível e vou tentar compartilhar ao máximo. Tenho 41 anos de carreira e 35 anos de São João em Campina Grande. As nossas vidas mudaram, o mundo está mudando e a festa também vai ter de mudar.

Como você está levando a quarentena em casa? Tem cantado e ouvido muito forró? Alguma música em especial marca este seu momento?

Eu diria que estou passando por este momento de forma bastante serena. É triste constatar as mortes, os problemas financeiros e até a fome que se tornou parte da nossa realidade. Por outro lado, agradeço aos céus pela minha casa, pela minha estrutura e pela minha família saudável perto de mim. Certamente estou valorizando muito mais cada pedacinho do meu jardim, aprendendo a fazer sobremesas, conversando muito com as minhas filhas e curtindo imensamente a chegada da minha netinha. Sim, tenho cantado muito, tenho escutado muito forró e estou até gravando algumas coisinhas para o futuro. Aliás, tenho escutado música o dia inteiro, os amigos Gil, Djavan, Chico Buarque, Chico César, o disco do meu filho Luã, que é um disco lindo. Eu diria que Amanhã, do Guilhereme Arantes é uma música muito emblemática, assim como as canções de Flávio Venturini. Ai Que Saudade d''cê também ganha uma outra dimensão agora.

Pretende fazer alguma live em junho para celebrar a festa de São João?

Pretendo fazer diversas ações. Começando pelo dia 13 de junho para uma empresa. No dia 19 de junho estamos tentando viabilizar a minha live oficial. No dia 23, uma live presencial em Campina Grande e uma participação num festival mais no fim do mês. Me veio à cabeça uma música do queridíssimo Moraes Moreira. Tive a honra de gravar 17 composições dele. Esta se chama São João na Estrada. Os versos dizem o seguinte: "No mês de junho tenho Deus por testemunho, com meu violão em punho, vou fazer meu São João." Estarei num outro tipo de estrada e, quem sabe, atingindo mais gente ainda.

Você vai participar das festas adiadas como a de Campina Grande, que será realizada em outubro?

Sim, pretendo participar dos festejos em outubro. Tomara que possamos nos abraçar e celebrar o São João em outubro. Não existe Campina Grande sem São João, nem São João sem Campina Grande.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.