Savoy em nova fase de glamour

Winston Churchill, Marilyn Monroe, Humphrey Bogart, Charlie Chaplin, Coco Chanel. O londrino Savoy, palácio à beira do Rio Tâmisa que ostenta a estrelada lista de hóspedes acima, acaba de reabrir as portas, após três anos de uma reforma à altura de seu passado glamouroso. E do título de um dos hotéis mais luxuosos do mundo, conquistado graças a detalhes nada pequenos, como a icônica entrada art déco e a localização perfeita - a partir das suítes da frente enxerga-se a London Eye.

O Estado de S.Paulo

19 Outubro 2010 | 01h35

As obras levaram três anos para serem concluídas e custaram 200 milhões de libras (cerca de R$ 582 milhões). Elétrica e hidráulica foram completamente trocadas e as obras corrigiram imperfeições deixadas em reformas anteriores. Trabalho para mais de mil funcionários.

Inaugurado em 1889, o Savoy foi um dos primeiros hotéis do planeta a ter energia elétrica. Em suas dependências, Londres viu, pela primeira vez, um elevador público. Não à toa, Claude Monet passou seis meses hospedado lá, disposto a pintar vários ângulos do Tâmisa. Frank Sinatra costumava dar canjas ao piano. E a princesa Diana organizava no hotel reuniões beneficentes.

Recentemente, no entanto, o Savoy começou a dar sinais de sua idade. Foi quando a rede canadense Fairmont Hotels, dona do empreendimento, decidiu por uma ampla revitalização.

Supervip. Uma nova suíte, a maior e mais cara do hotel, ocupa toda a parte da frente do quinto andar. A Royal Suite tem foyer de mármore, escritório, sala de jantar, cozinha e dois quartos. Além de um closet com espaço climatizado para sapatos e mordomo 24 horas. A diária? Nada módicas 10 mil libras, ou algo em torno de R$ 26 mil.

Outras nove suítes receberam nomes de hóspedes famosos para evocar o glamour do passado. Caso do quarto Marlene Dietrich, que estará sempre abastecido com rosas cor-de-rosa, mesma exigência que a atriz alemã impunha quando se hospedava no hotel.

Todos os outros 268 quartos foram renovados. Para a reabertura, o hotel lançou pacotes comemorativos, por a partir de 825 libras a diária em quarto de casal, com café e mimos como assistente para arrumar a mala. No site (fairmont.com/savoy) há também a opção de pacote Rediscover, com diária de 295 libras, limitado, claro, à existência de vagas. Talvez dê tempo se você correr. / COM REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.