Airbnb.com
Airbnb.com

Segredos do Rio revelados em tours guiados por moradores

Da casa de Tom Jobim à cultura de botequim, plataforma Airbnb Experiences coloca moradores para conduzir passeios especiais pela cidade; confira alguns deles

Bruna Toni, O Estado de S.Paulo

30 Setembro 2018 | 07h00

Escondida sob as copas das árvores que cobrem as ruas de Ipanema, a casa da Rua Nascimento Silva, 107, onde morou Tom Jobim durante 16 anos e que ficou eternizada na canção Carta ao Tom 74, pode passar despercebida mesmo aos maiores fãs do músico. Eu mesma não lembro quantas vezes andei pelas redondezas, dobrando na Rua Vinícius de Moraes sem perceber a poesia e a quantidade de histórias que me cercavam. Foi apenas na companhia do jornalista e músico Cecelo, numa tarde nublada de terça-feira, que descobri esta e outras curiosidades da bossa nova e das ruas sombreadas onde ela nasceu. 

O passeio guiado por ele, Segredos da Bossa Nova, é o terceiro mais reservado no Rio de Janeiro por meio do Airbnb. Você não entendeu errado: além do aluguel de imóveis para temporada, a plataforma reúne, desde 2016, moradores de mais de 800 cidades (os anfitriões) interessados em oferecer a turistas passeios guiados por eles em suas regiões. 

Em março deste ano, por exemplo, o Viagem conheceu por meio do Airbnb Experiences, como é chamada a opção de reserva de passeios, um tradicional mercado em Moscou ao lado da russa Yulia, boa entendedora da gastronomia de seu país. Do outro lado do mundo e com outra expertise, o fluminense Cecelo oferece neste mesmo Experiences seu tour pela bossa nova, algo que ele ama e conhece bem. Como ele, dezenas de moradores do Rio se tornaram guias locais desde que a opção chegou por lá, há um ano, somando atualmente 160 experiências bastante distintas na capital do Estado.

O Rio foi a primeira cidade brasileira a contar com a opção na plataforma do Airbnb e hoje responde pelo quarto maior mercado da empresa na América Latina no que diz respeito à venda de experiências. Mas desde junho deste ano, o Experiences está presente também nas demais cidades brasileiras; na Argentina, sobretudo em Buenos Aires; e em Santiago do Chile. 

No mundo todo são 15 mil experiências e seus hospedeiros devem atender aos mesmos critérios determinados pela empresa: ter credibilidade e conhecer bem o que oferecem; facilitar o acesso a algo que, sozinho, o turista teria mais dificuldade de conseguir; e ter boas avaliações. O valor de cada experiência fica a critério do hospedeiro - 20% do valor é sempre retido pelo Airbnb -, assim como o roteiro e o que está incluído no passeio. Há, por isso, preços tão variados quanto os tipos de tours. Segundo o Airbnb, no Rio, 25% das reservas são para imersões na natureza; 23% para atividades esportivas; e 21% do público quer entretenimento. Em algumas, os viajantes brasileiros dividem a procura com estrangeiros, mas em boa parte os estrangeiros saem na frente.

Para comemorar o um ano do Airbnb Experiences no Rio, passamos um dia vivendo duas de suas experiências e conhecendo outras três. Por isso, acabamos dando no começo deste texto um pequeno spoiler do primeiro passeio. Em nossa defesa vale dizer que nenhuma experiência é igual a outra, mesmo sendo o mesmo roteiro. Essa é a graça de conhecer um lugar ao lado de moradores: a troca, sempre muito particular, vai além da temática do passeio e ainda dá a chance de se ganhar novos amigos pelo mundo. Cecelo, por exemplo, terminou seu tour e acabou por nos acompanhar até o botequim onde estava Paulo, outro hospedeiro do Airbnb. Sem novos spoilers, vocês descobre os detalhes a seguir. 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.