Adriana Moreira/Estadão
Adriana Moreira/Estadão
PUBLICIDADE

Seis opções no Caribe para viajantes de perfis variados

Muito além das águas mornas e cristalinas, as praias e ilhas têm suas particularidades; veja com qual delas você mais se identifica

Natalie B. Compton, The Washington Post

21 de junho de 2022 | 05h00

Com seu calor, mar e ritmo mais lento, o Caribe atrai viajantes em busca de uma fuga da vida cotidiana. “Essa vibração paradisíaca é muito atraente agora, pois todos estão esgotados e de luto por tudo que a pandemia nos trouxe”, diz Terika L. Haynes, proprietária da Dynamite Travel.

A região é bastante diversa. Estendendo-se do Golfo do México à América do Sul, cada parte do Caribe oferece algo único. Para encontrar a versão certa do paraíso para você, conversamos com especialistas em viagens à região, para compartilhar suas recomendações.

Para curtir praia: Antígua

Se uma praia de cartão-postal é o que você procura, Haynes sugere Antígua. A ilha anuncia que tem 365 praias, de modo que “você pode ir a uma diferente a cada dia do ano”, diz Haynes. A pequena ilha, de areia fofa e água azul-clara, é fácil de ser explorada. Você pode se hospedar em um resort e aproveitar o que está à sua porta, mas “com tantas paisagens para explorar, você pode querer um carro para ir à praia”, diz Haynes.

Laura Sangster, fundadora da Caribbean Journey, que já esteve na região mais de 150 vezes, diz que a Ilha de Guana, nas Ilhas Virgens Britânicas, é a melhor opção de praia. “Se você quer areia branca pura, água cristalina e compartilhar a praia com apenas um punhado de outros hóspedes, você precisa ir lá”, diz Sangster. Uma ilha particular de pouco mais de 3 quilômetros quadrados, Guana guarda uma exuberante floresta tropical e montanhas ótimas para caminhadas. Tudo isso tem um preço: uma casa com vista para o mar com tudo incluído no hotel Guana Island custa US$ 890 por noite.

Para comer e beber: Anguilla

Joshua E. Bush, executivo-chefe da agência de viagens Avenue Two Travel, chama Anguilla de “um paraíso culinário dentro do paraíso”. Haynes sente o mesmo. Com influência das cozinhas indígena caribenha, africana, francesa, espanhola e inglesa, “Anguilla é conhecida como a capital culinária do Caribe”, acrescenta. “Você pode experimentar ótimas refeições e ainda desfrutar de praias realmente bonitas.”

Haynes diz que os viajantes adoram a variedade culinária de Anguilla, de opções “do campo à mesa”, passando por churrascarias à beira da estrada e até por restaurantes requintados, administrados por chefs premiados com estrelas Michelin. Entre as iguarias imperdíveis estão lagostas grelhadas, churrasco de costeleta com bolinhos fritos ou feijão bóer com arroz, prato nacional de Anguilla.

Sangster escolhe Saint Barthélemy, ou St. Barths, para comer. Shayna Mizrahi, fundadora e CEO da Vive Voyage, concorda. “A qualidade da comida e das opções culinárias em St. Barths é incomparável no Caribe”, diz ela, atestando a variedade de restaurantes casuais e sofisticados da ilha. Como território francês, St. Barths é conhecida por sua culinária francesa, com influências indiana e creole. Peça frutos do mar frescos; uma das refeições memoráveis de Mizrahi foi um robalo inteiro grelhado em uma fogueira no clube de praia Gyp Sea.

Amina Dearmon, fundadora e proprietária da Perspectives Travel, vota em Porto Rico, berço da piña colada. “A cena gastronômica de San Juan é influenciada por todas as culturas que habitaram a cidade ao longo de seus 500 anos de história”, diz ela. “Faça um tour gastronômico para que possa obter uma mistura de história e testes de sabor e depois volte para seus restaurantes favoritos para refeições completas.”

Para preços mais econômicos: Bahamas

As Bahamas funcionam como um destino insular para viajantes preocupados com gastos excessivos. Mizrahi aponta para a extensa lista de hotéis, resorts e propriedades com tudo incluído disponíveis por preços diversos. Além disso, os voos dos Estados Unidos para as Bahamas costumam ser mais em conta. Dearmon também recomenda as Bahamas. “Os viajantes apreciarão que alguns dos pratos mais procurados das Bahamas, como bolinhos de conch (um molusco típico), garoupa, ervilhas e arroz, têm bons preços e são abundantes”, diz.

A opção de Hayne é a Riviera Maya, no México. A região se estende ao sul de Cancún até Tulum e “funciona muito bem para grupos e famílias que precisam de um bom custo-benefício”, diz Haynes. Além disso, chegar ao México tende a ser mais fácil (há voos diretos do Brasil) do que voar para outras partes do Caribe.

Para vida noturna: Barbados

Para os moradores de Barbados, “todo mundo parece querer se divertir”, diz Haynes. Como prova, ela aponta para a Fish Fry, uma grande festa de rua com comida, bebida e dança que ocorre às sextas-feiras na cidade de Oistins. Ela também gosta do fato de haver uma variedade de opções, de clubes com house music a locais de jazz mais intimistas. Se você planejar sua viagem, pode visitar a versão do carnaval de Barbados, chamada Crop Over. “São 24 horas de festas, sete dias por semana”, diz Haynes.

Dearmon recomenda St. Barths, onde “as reservas em clubes de praia são quase tão importantes quanto as reservas em hotéis”, diz. Mesmo que a festa comece no início do dia, a música toca até tarde da noite. “Quando o sol se põe, os DJs saem para tocar um set enquanto você janta em alguns dos mais renomados restaurantes franceses do mundo”, diz ela. “Depois do jantar, desfrute de música ao vivo, vá para a balada ou volte para um clube de praia para um drinque antes de fazer tudo de novo no dia seguinte.”

Para viajar com amigos: República Dominicana

Joan Roca, CEO e fundadora da empresa de planejamento de viagens Essentialist, diz que a República Dominicana é um ótimo local para uma viagem com amigos graças à sua variedade de acomodações (villas, resorts, hotéis) e mistura saudável de praia, natureza, restaurantes e vida noturna. Haynes organiza muitas viagens para famílias e casamentos. “Tem uma grande quantidade de resorts muito bons”, diz ela. E esse número não para de crescer.

Para caminhadas e mergulho: Saba

 Para os “amantes da natureza que querem fugir”, Haynes recomenda a ilha de Saba, de apenas oito quilômetros quadrados. A 12 minutos de voo ou 90 minutos de balsa de Sint Maarten, Saba é mais conhecida por seu charme e excelentes caminhadas. A ilha é o topo de um vulcão que entrou em erupção pela última vez em 1640. Há um problema: Saba não tem praias de areia. Em vez disso, os visitantes podem nadar e mergulhar no Saba Marine Park, ao redor da ilha. Como Saba restringe a pesca e a ancoragem, há uma população de mais de 150 espécies de peixes ao redor dos fluxos de lava subaquáticos e fontes termais.

Tanto Sangster quanto Dearmon escolhem Dominica como destino fora do comum, citando as ecoaventuras da ilha, os ótimos hotéis e a cultura. “A vegetação luxuriante da ilha será a primeira coisa que o impressionará”, diz Dearmon. “As florestas tropicais, montanhas e cachoeiras são as maravilhas naturais que fazem de Dominica um destino para caminhadas, mergulho e férias de bem-estar.” Ela recomenda que os visitantes façam viagens ao Portsmouth Saturday Market e Kalinago Territory, uma região da ilha onde ainda vivem descendentes do povo original de Dominica.

Encontrou algum erro? Entre em contato

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.