Mônica Nobrega/Estadão
Mônica Nobrega/Estadão

Sem neve, mas cheias de vida e diversão

Quando o tempo esquenta no Hemisfério Norte, estações de esqui deixam ver sua outra face: a de lugares ideais para esportes de aventura e passeios ao ar livre. A hora é agora

FELIPE MORTARA, O Estado de S.Paulo

04 Junho 2013 | 02h09

Aspen

Quase 70 quilômetros de trilhas, que compreendem de descidas quase verticais a caminhos mais calmos e contemplativos, podem ser desbravados de bicicleta (aluguéis começam em US$ 38 ou R$ 79 por dia, mais US$ 28 ou R$ 58 do passe de acesso aos teleféricos). E essa é apenas uma das opções para aproveitar Aspen sem neve. Na primavera e no verão há voos de balão para admirar do alto as montanhas da cidade no Estado norte-americano do Colorado (desde US$ 295 ou R$ 614; aboveitallballoon.com). E que tal um rafting nos rios formados pelo degelo (aspenwhitewater.com; desde US$ 80 ou R$ 166)? Experimente ainda o disc golf, espécie de corrida por um circuito de 18 buracos cujo objetivo é lançar um disco nas cestas. Grátis. Mais: aspensnowmass.com.

Zermatt

Depois de lotar no inverno, principalmente por conta das competições esportivas, a estação suíça a 248 quilômetros de Zurique investe em um cardápio de atividades ao ar livre nos dias mais quentes. Voos duplos de parapente estão entre os mais populares. A Alpine Adventures (alpine-adventures-zermatt.com) decola do pico de Rothorn, a 3.100 metros de altitude, e pousa 20 minutos depois (desde 120 francos suíços ou R$ 257). O aluguel de kickbike, patinete com roda dianteira e guidão de bicicleta, custa 23 francos suíços (R$ 50). A neve permanece intacta nos 21 quilômetros da geleira Theodul, onde se esquia o ano todo.

Whistler

Depois de hibernar durante o inverno, o urso acordou. Vá vê-lo na estação canadense (desde 80 dólares canadenses ou R$ 163) e aproveite para também avistar águias. Visitantes destemidos podem encarar o arvorismo de 2,3 quilômetros e 10 tirolesas, ou o bungee jumping de 53 metros sobre o Rio Cheakamus (116 dólares canadenses ou R$ 236; whistler.com/bungee_jumping). A gôndola fechada Peak 2 Peak percorre 4,4 quilômetros sobre um vale e conecta as montanhas Whistler e Blackcomb (desde 139 dólares canadenses ou R$ 283, preço combinado com a descida de tirolesa; ziptrek.com).

Chamonix

A charmosa cidadezinha francesa de 10 mil habitantes fez fama por suas pistas de esqui, boas para quem tem prática, e por estar aos pés dos 4.807 metros de altitude do Mont Blanc. No verão, convida a conhecer os Alpes a pé, em trekkings por 160 trilhas demarcadas pelos arredores da cidade.

As caminhadas passam por florestas e levam a pontos nas alturas de onde se admira todo o vale - ao todo, são 350 quilômetros de percursos possíveis. No site chamonix.com é possível baixar aplicativos com mapas e orientações sobre os caminhos, em vários graus de dificuldade.

Crans-Montana

Difícil imaginar que sob a neve da estação suíça de Crans-Montana se esconde um dos mais prestigiados campos de golfe da Europa. Quando o tempo esquenta, buracos são reabertos e os praticantes e admiradores do esporte sobem a montanha. No Golf Club Crans-sur-Sierre (golfcrans.ch) há pistas com nove buracos a partir de 60 francos suíços (R$ 129). Em setembro, o local recebe o Omega European Masters, um dos maiores campeonatos de golfe do continente (omegaeuropeanmasters.com/en).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.