Divulgação
Divulgação

Será o fim das gorjetas em restaurantes de Nova York?

CEO do Union Square Hospitality Group e conhecido como lançador de tendências, Danny Meyer anunciou ontem o fim das gorjetas em 13 restaurantes do grupo - inclusive um estrelado pelo Guia Michelin

Mônica Nobrega, O Estado de S.Paulo

14 Outubro 2015 | 19h12

As gorjetas estão com os dias contados em 13 restaurantes de Nova York, entre eles o duas-estrelas Michelin The Modern, no MoMA, e o icônico Union Square Cafe, que chegou aos 30 anos neste 2015. Danny Meyer, CEO do Union Square Hospitality Group, anunciou na quarta-feira, 14 de outubro, que as famigeradas gratificações ao pessoal de salão começam a ser eliminadas gradativamente a partir de novembro e ao longo do próximo ano. 

Veja a lista completa de restaurantes do Union Square Hospitality Group

Para os 921 mil brasileiros que visitaram Nova York no ano passado, o anúncio significa o fim do susto com os 15%, 18% ou 20% extras cobrados sobre o valor final da conta. Mas o objetivo da medida, segundo Danny Meyer, é aumentar os salários e proporcionar oportunidades igualitárias de carreira aos 1,8 mil empregados do grupo. Isso porque as gratificações, no modelo atual, são dadas apenas a garçons. Cozinheiros, recepcionistas, faxineiros e todo o restante das equipes ficam de fora desse tipo de remuneração.

Como não existe milagre, acabar com as gorjetas vai significar aumento dos preços do cardápio também. Meyer dá a entender que o reajuste será discreto.

“Assim que as medidas forem implementadas, o custo total das nossas refeições não vai diferir muito do que você paga agora, mas para nossas equipes, a mudança será significativa”, disse Meyer ao anunciar o fim das gratificações. “Eliminando gorjetas, nossos empregados que querem crescer financeira e profissionalmente terão oportunidades baseadas no mérito de seu trabalho.” 

Analistas do mercado da gastronomia, como os jornalistas da prestigiada comunidade Eater.com, apostam que este seja o começo de um movimento que deve, no futuro, acabar de vez com as gorjetas em restaurantes de Nova York. A baixa remuneração fixa de garçons e outros profissionais que trabalham por gorjetas entrou também na mira do governo local. Em fevereiro, o governador do Estado de Nova York, Andrew M. Cuomo, estabeleceu uma remuneração mínima de US$ 7,50 por hora a estes trabalhadores.

Danny Meyer é conhecido como lançador de tendências. Entre outras iniciativas, baniu o cigarro dos ambientes do Union Square Cafe uma década antes de a medida se tornar lei municipal, e implantou o formato de restaurante 2 em 1 – à la carte numa parte, menu a preço fixo em outra – no Gramercy Tavern nos anos 1990. A nova política da empresa que comanda, associada às mudanças na lei trabalhista, pode ajudar a acabar com a incômoda sensação de ser delicadamente expulso do restaurante assim que a refeição termina. Afinal, no modelo atual, interessa aos atendentes a alta rotatividade.

 

Mais conteúdo sobre:
Nova York Meyer

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.