Mônica Nóbrega/Estadão
Mônica Nóbrega/Estadão

Simuladores

Diante de telas com tecnologia 3D quase sempre melhor que de qualquer sala de cinema Imax, os simuladores chacoalham e provocam sensações bem reais. Estão em alta em Orlando: desde 2010, foram duas inaugurações e duas reformas em brinquedos do tipo. E a Universal promete estrear este ano a atração de Transformers, idêntica à que já existe em Los Angeles.

O Estado de S.Paulo

08 Janeiro 2013 | 02h10

Na estreia mais recente, no parque Universal Studios, as meninas Margo, Edith e Agnes querem preparar uma surpresa para comemorar o primeiro aniversário de sua adoção pelo vilão Gru. Convocam os minions, os ajudantes amarelos que roubam a cena no filme Meu Malvado Favorito, que, por sua vez, "minionizam" o público - daí o nome da atração, Miniom Mayhem, algo como mutação minion. Uma atração para rir.

The Simpsons Ride, no mesmo parque, também vai para o lado da comédia. A família de Homer vai estrear uma montanha-russa no parque criado pelo palhaço Krusty, sem saber que o vilão Sideshow Bob planeja um atentado contra eles. Na fila são apresentados vídeos hilários. Quedas e choques fazem desta uma das atrações mais movimentadas.

No parque Islands of Adventure, a área The Wizarding World of Harry Potter nasceu com vocação para clássico. Admire a vila de Hogsmeade, tire sua foto diante do trem para Hogwarts, compre seu copo de cerveja amanteigada e entre na fila da atração The Forbidden Journey. A espera se dá entre os salões da escola mágica, passa pela galeria de retratos, onde o diálogo entre os personagens nos quadros é de cair o queixo, e chega ao salão onde Harry Potter, Hermione e Ron surgem em holografias para falar com o público. O simulador em si é um dos mais intensos, com voo em vassoura e partida de quadribol. Ali, meu estômago reclamou e fechei os olhos algumas vezes.

Renovado, The Amazing Adventures of Spiderman ganhou realismo, quedas vertiginosas e vilões como o Duende Verde e o Doutor Octopus. Deliciosas referências para fãs de Peter Parker.

Enquanto não se confirmam as especulações de que a saga Star Wars vai virar tema de uma área inteira, à moda de Harry Potter, já que a Disney comprou a Lucas Films, a atração Star Tours segue sendo uma boa opção no Hollywood Studios. Reformada em 2010, ganhou 50 possibilidades de roteiros, escolhidas aleatoriamente. O robô C-3PO é o piloto da nave que tenta fugir com um espião a bordo - alguém do público, que acaba tendo seu rosto mostrado na tela. Darth Vader percebe a manobra e, daí em diante, começam perseguição e batalha. Na minha vez teve corrida de pods em Tatooine, invasão à Estrela da Morte e um atrapalhado voo em Coruscant.

Ainda no clima espacial, a atração Mission: Space, no Epcot, é um desafio. Simulador de voo desenvolvido em parceria com a Nasa, brinca de viajar a Marte, com sensações extremas em momentos como o lançamento do foguete e a chegada à gravidade zero. A duração é de 5 minutos; ali pelo terceiro eu queria pedir clemência. Há uma versão light, o time verde. Eu havia escolhido o time laranja, mais forte.

Fica no mesmo parque um dos simuladores mais comentados de Orlando, Soarín. O suave sobrevoo a paisagens da Califórnia é bonito, imune a incidentes estomacais e tem momentos inspirados como o que espalha cheiro de laranja pela sala ao mostrar plantações da fruta. Mas está um pouco ultrapassado, gasto, tadinho. Se olhar bem, você percebe defeitinhos no pano branco da tela. Caso não esteja na primeira fileira, será inevitável ver os pés dos visitantes nas cadeiras à frente. Tira um pouco da graça. Soarín mereceria uma renovação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.