Divulgação
Divulgação

Sonho e realidade

Qual o seu sonho? Visitar as geleiras da Antártida? Mergulhar no mundo de Harry Potter? Tomar uma cerveja no bar do Moe, em Springfield? Viver um conto de fadas ao lado de Cinderela, Bela e outras princesas? Talvez testar a adrenalina em montanhas-russas radicais. Ou mesmo comprar, comprar e comprar a preços baixíssimos.

ADRIANA MOREIRA / ORLANDO, O Estado de S.Paulo

25 Junho 2013 | 02h20

Sim, existe um lugar fora dos livros de fábulas e dos filmes com efeitos especiais onde sonhos se realizam. Com ajuda da tecnologia e de uma equipe de engenheiros com imaginação de sobra, os parques Disney (Magic Kingdom, Animal Kingdom, Epcot Center e Hollywood Studios), Sea World (Sea World, Discovery Cove e Busch Gardens) e Universal (Universal Studios e Island of Adventure) conseguem transformar em realidade os sonhos mais amalucados.

Por exemplo: trazer a Antártida e suas temperaturas negativas para dentro de um parque na Flórida. Leve um casaco para enfrentar o frio de Antarctica: Emperor of Penguin, a mais recente (e milionária) atração do Sea World, inaugurada há um mês. Ali, o hábitat dos pinguins foi reproduzido em detalhes: até a iluminação muda de acordo com a época do ano.

Achou pouco? Imagine participar de uma batalha para derrotar os malvados Decepticons? Na última quinta-feira, a Universal abriu ao público Transformers: The Ride 3D, um simulador no qual você integra o exército dos Autobots, os mocinhos da história. No fim de 2012, a Disney colocou todos dentro do castelo da Fera na nova Fantasyland do Magic Kingdom e, para o ano que vem, promete uma área dedicada ao filme Avatar em outro de seus parques, o Animal Kingdom.

Como se pode perceber, em Orlando não há limites para a diversão. Ou melhor, apenas um: o do seu cartão de crédito. O dólar em crescente alta inspira cuidados, especialmente nos shopaholics (mesmo os mais contidos podem sentir os sintomas). Mas, ainda assim, os preços vão parecer até coisa de sonho.

Mais conteúdo sobre:
OrlandoSea WorldDisneyUniversal

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.