Sossego e emoção nas serras

Edredom, lareira, mesa farta e boa música estão garantidos em destinos do Sudeste

OLÍVIA FRAGA , ESPECIAL PARA O ESTADO, O Estado de S.Paulo

23 Maio 2013 | 02h14

Para quem curte o frio nas montanhas, ouvindo música clássica, jazz e MPB, a estrada é verdejante e corta o País em todas as direções. Próximos a grandes capitais, destinos de inverno oferecem o edredom merecido às famílias e lareiras aquecidas a casais em busca de sossego - é bem verdade que alguma dose de aventura também faz parte do roteiro. Só depende de que rumo tomar.

A geografia beneficiou o País com terras elevadas entre os Estados de Minas, São Paulo e Rio. A Serra da Mantiqueira, a Serra do Mar e a Serra Fluminense, que inclui a Serra dos Órgãos), concentram estações termais, cidades serranas de ar puro e parques ecológicos. Cenários ideais para experimentar o frio com conforto.

Com acesso facilitado pelo asfalto - a estrada de terra serpenteante e íngreme, saindo da Fernão Dias (BR-381), mantinha os turistas à distância -, Monte Verde agora não se esconde mais. A cidadezinha, próxima da divisa entre São Paulo e Minas, está rodeada de picos escaláveis, como o Chapéu do Bispo e a Pedra Redonda.

Não faltam atividades leves e caminhadas de tirar o fôlego: hotéis e agências de Monte Verde dão suporte para trilhas, rapel, tirolesa, passeios a cavalo e em jipes. O Rio Jaguari é um dos melhores do País para a prática de rafting. E tem mais: em julho, a cidade promove o Festival de Música, com apresentações nas noites de sábado e domingo.

Outra bela paisagem mineira, a Serra do Cipó, na região central do Estado, fica a pouco menos de 100 quilômetros de Belo Horizonte e prova que frio e aventura combinam. Jaboticatubas é porta de entrada para o Parque Nacional: com duas comunidades quilombolas e festas juninas, a pequena vila dá infraestrutura ao turista que quer passear ou escalar seus cânions, visitar sítios arqueológicos ou andar a cavalo.

Já Conceição do Mato Dentro vê nascer as bacias dos Rios São Francisco e Doce. As quedas d'água de Tabuleiro e Rabo de Cavalo criam piscinas naturais exuberantes.

Na região serrana do Rio, Petrópolis é destino clássico. A administração pública garante que a cidade está recuperada das chuvas que castigaram os bairros centrais nos últimos verões. Tanto é assim que, em julho, volta a cartaz o festival de jazz, em parceria com o Sesc Rio (www.sescrio.org.br). Destino da família real desde o século 19, a cidade preserva alguns casarões e palácios, onde ficam o Museu Imperial (museuimperial.gov.br) e o Palácio de Cristal.

Da vizinha e mais ecológica Teresópolis, com boa concentração de hotéis de charme e pousadas, saem passeios para o Parque Nacional da Serra dos Órgãos (www.icmbio.gov.br/parnaserradosorgaos/).

A estrada entre Teresópolis e Nova Friburgo, a Tere-Fri, faz um percurso agradável para quem quer explorar a região de carro. Pelo caminho, há o ateliê do artista Geraldo Simplício (ceramicanorio.com/artepopular/nego/nego.htm), o apiário Amigos da Terra, a Queijaria Suíça e fazendas de produção de alimentos orgânicos. Tudo aberto à visitação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.