Taipé e suas várias facetas

Modernidade: do alto do atual edifício mais alto do mundo, a vista mais parece uma maquete

Adriana Moreira, O Estado de S.Paulo

24 Março 2009 | 02h37

Múltipla. Taipé, a capital de Taiwan, não é uma metrópole como outra qualquer. Aos olhos ocidentais ela revela uma personalidade multifacetada, onde tradição e modernidade caminham lado a lado - e sem qualquer tipo de conflito.

 

De tudo um pouco: nos mercados noturnos há comida, roupas...

Gigante. O melhor exemplo do lado moderno da cidade é o edifício Taipei 101, o mais alto do mundo - pelo menos até que o Burj Al Arab, em Dubai, seja inaugurado -, com 508 metros de altura e 101 andares. Nos primeiros cinco pisos fica um luxuoso shopping center. Os turistas se concentram no observatório, entre o 89º e o 91º andar, de onde se vê a cidade inteira. Do alto, a sensação é a de estar olhando para uma maquete.

 

'Made in...' É claro que você já se pegou lendo uma etiqueta que denuncia: "made in Taiwan". A indústria de eletrônicos impera ao redor da cidade e, claro, você não vai querer sair sem o seu de lá. O mercado de Huan Kuo é o endereço da pechincha. Para quem paga em dinheiro, o desconto é maior.

Lambretas. O trânsito caótico levou muitos moradores a trocar seus automóveis por lambretas. Há uma dessas motocas para cada dois habitantes. A superpopulação desses veículos trouxe outro problema: estacioná-los.

Templos. O budismo e o taoismo são as principais religiões em Taiwan. Reserve uma noite - quando a iluminação deixa o local ainda mais bonito - para ir ao Templo de Lungshan, uma espécie de catedral. Há também vários templos dedicados ao filósofo Confúcio (como o da Rua Dalong, 75), procurados principalmente por estudantes em busca de sabedoria.

Tesouros. Quando o exército de Chan-Kai-Shek foi derrotado pelo Partido Comunista na China continental, o general fugiu para Taiwan com cerca de 3 mil caixas contendo tesouros da Cidade Proibida, de Pequim. Tais relíquias estão expostas no Museu Nacional do Palácio, ali mesmo, em Taipé. Visitá-lo é programa obrigatório.

Mercado noturno. Os mercados noturnos são muito comuns pelo país. Têm de tudo um pouco: todos os tipos de petiscos (todos mesmo), roupas, eletrônicos, CDs... O Huasi, em Taipé, é um dos maiores. Em suas imediações espalham-se lojas e restaurantes - em muitos deles, você escolhe seu peixe ou fruto do mar fresco. Direto em um aquário.

Chá. O chá é uma verdadeira instituição. Está presente no café da manhã, no almoço, no jantar e nos intervalos entre as refeições. Aproveite para experimentar o maior número possível de combinações. Sabores com flores, como o de jasmim, são excelentes. O oolong, tipo de chá verde com gosto mais forte, é o mais apreciado pelos locais. Em Taipé, visite a Wang's (Chung King, 26), criada em 1890 - o negócio está na família há quatro gerações.

Mais conteúdo sobre:
Viagem escala

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.