Tentadores descontos da baixa temporada

Esta é a melhor época do ano para fazer as malas pagando (bem) menos. Tanto no Brasil quanto em destinos no exterior

Mônica Cardoso, O Estado de S.Paulo

30 Março 2010 | 01h52

As praias superlotadas ficaram lá no verão, que terminou há poucos dias. Longos congestionamentos, agora, são mais fáceis de encontrar nas portas das escolas que nas estradas. Pagar pequenas fortunas por uma porção de camarão, só nas próximas férias. Encerrada a alta temporada no Brasil e a meses do começo da folga anual dos europeus e dos norte-americanos, o período de entressafra (que vai até junho) é o melhor do ano para viajar gastando bem menos.

Estamos em plena época de liquidação turística. Os meses mais movimentados ainda não começaram na Europa e nos Estados Unidos: por lá, a alta temporada ocorre entre julho e setembro (quando o Nordeste brasileiro também eleva seus preços, por causa da chegada dos visitantes do Hemisfério Norte). Ao mesmo tempo, o fim do inverno esvazia as estações de esqui - e aquelas que ainda têm neve acumulada oferecem verdadeiras pechinchas. No exterior, o real valorizado turbina as vantagens.

No Brasil, com exceção de feriados nacionais, como a Páscoa, que começa nesta sexta-feira, a baixa taxa de ocupação desses meses leva hotéis e resorts a reduzirem suas tarifas básicas, na média, em 25%. "Em alguns casos é possível encontrar descontos até maiores", afirma o presidente nacional da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH), Álvaro Bezerra de Mello. Como consequência, pacotes de viagem completos (com passagem aérea, traslados, hospedagem e, eventualmente, até seguro incluídos) ficam bem mais em conta.

É claro que, para a maioria dos turistas, o ano letivo e o trabalho são entraves para viajar nessa época. Mas se não é o seu caso - ou se você pode conseguir alguns dias de folga -, aproveite para conhecer aquele sonhado destino pagando bem menos. Selecionamos, a seguir, sugestões para você comparar, se inspirar e, quem sabe, fazer as malas.

/

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.