Bruna Tiussu/AE
Bruna Tiussu/AE

Teruel e os monumentos mudéjar

Arte secular. Impossível ficar indiferente à arquitetura mudéjar da pequena Teruel, capital da província de Aragão, no leste espanhol. Grandiosas construções cristãs ganharam delicados toques da colorida arte islâmica, refletindo o passado multicultural da região. São torres, praças e igrejas com decorações excêntricas, conservadas desde sua criação (nos séculos 12 e 13) e reconhecidas pela Unesco como Patrimônio da Humanidade desde 1986.

Bruna Tiussu/AE, O Estado de S.Paulo

16 Fevereiro 2010 | 02h03

Mínimos detalhes. É na parte velha da cidade - que pode ser vista em uma tarde - que estão as famosas torres de San Martín, San Pedro e El Salvador. Arrisco dizer que a de San Martín é a mais esplêndida. O tamanho impressiona, mas são os detalhes arquitetônicos que fazem o turista ficar boquiaberto. Nas paredes, frisos entrecruzados coloridos com tijolos de cerâmica verde se intercalam com as janelas em forma de arcos. Na base, mais arco: um aberto, que funciona como túnel para os pedestres passarem.

Acervo. A arte mudéjar persiste no interior das duas principais igrejas, a de San Pedro e a Catedral de Santa María. Destaque especial para os azulejos e vidros coloridos da catedral e seu teto, decorado com pinturas que relembram o dia a dia da remota Idade Média.

Lenda romântica. Mas é a Igreja de San Pedro que guarda o símbolo da mais romântica história local, o Mausoléu dos Amantes de Teruel. Diz a lenda que no século 13 a cidade foi palco de um romance trágico à la Romeu & Julieta. Dois jovens se apaixonaram, mas foram impedidos de concretizar a união pelas famílias. A dela era rica e a dele, pobre. O sofrimento foi tanto que o moço morreu de "coração partido" e a jovem, desesperada, caiu morta no dia seguinte. O ingresso para visitar a igreja, suas torres e o mausoléu custa 8 (R$ 20) no www.amantesdeteruel.es.

Descanso. A poucos metros das igrejas fica a Plaza del Torico. Seu formato triangular é curioso, assim como a estátua quase minúscula de um touro, considerado o símbolo de Teruel. É um bom local para procurar um café aconchegante e aproveitar a sombra.

Fabricação local. Uma vez em Teruel, prove sua iguaria mais tradicional, o jamón serrano (presunto cru). Aposte em um sanduíche que leva o ingrediente ou compre os mais frescos nas vendinhas da cidade. Os preços são convidativos.

Mais conteúdo sobre:
Uma escala em...

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.