Entidade de Turismo do Governo da Cidade de Buenos Aires
Entidade de Turismo do Governo da Cidade de Buenos Aires

Tiradentes - 21 a 24 de abril

Visite Buenos Aires ou Jericoacoara

Bruna Toni e Adriana Moreira, O Estado de S. Paulo

05 Janeiro 2016 | 05h00

BUENOS AIRES

Buenos Aires se tornou destino certo para brasileiros em qualquer época do ano, ainda mais em tempos de dólar alto (e de peso argentino baixo). Mas não é apenas por ser mais em conta que a capital ganhou status de queridinha. Questões práticas como a proximidade – a menos de 2 horas de São Paulo de avião –, o espanhol falado num tom familiar e os gostos parecidos, a começar pelo futebol, são coroadas por um clima de cidade descolada e clássica ao mesmo tempo, que abraça de viajantes solitários a famílias inteiras.

Abril é um dos melhores meses para visitar a cidade. Além de ser baixa temporada, as paisagens de parques como os charmosos Bosques de Palermo ficam ainda mais atraentes no outono – leve uma capa de chuva para se proteger da garoa comum à época do ano.

Quatro dias é o ideal para se conhecer o básico de Buenos Aires ou aproveitar um possível retorno com mais calma. Dá até para fazer um bate-volta de barco de Puerto Madero à histórica Colônia, no Uruguai, ou assistir a uma partida do campeonato nacional de futebol, que em 2016 vai até julho e conta com 30 times – no estádio do Boca Juniors, no colorido e turístico bairro La Boca, a emoção é garantida. 

Com transporte público fácil, combine caminhadas pelo centro, onde fica a histórica Plaza de Mayo e a Casa Rosada, sede do governo argentino – consulte a programação das visitas guiadas gratuitas em bit.ly/visitacasarosada –, e pelas ruas esverdeadas de Palermo, bairro nobre que abriga também o Malba (Museu de Arte Latino-Americana de Buenos Aires), com exposições temporárias de alto nível e o nosso Abaporu, de Tarsila do Amaral.

Há ainda o Teatro Cólon, o Café Tortoni, os espetáculos de tango e a noite agitada da Avenida Corrientes, onde está escondido (no número 1.660) um pequeno museu dos Beatles. Tudo isso ainda pode ser combinado com a programação da cidade em abril, que receberá o Festival de Cinema Internacional, a 42ª Feira Internacional do Livro e a feira gastronômica Masticar. Mais: turismo.buenosaires. gob.ar/br./BRUNA TONI

JERICOACOARA

Vai demandar planejamento, mas em quatro dias você consegue, sim, visitar Jericoacoara. Abril não é alta temporada e, apesar dos ventos e alguns chuviscos, o clima é agradável. Reserve com a pousada o transfer de ida e volta a partir de Fortaleza, que leva quatro horas – quase metade do tempo da viagem de ônibus. Avise que você quer dividir com outros passageiros, sempre um bom negócio, já que o valor cobrado é por carro. A média é R$ 450 para quatro pessoas – ou seja, cerca de R$ 112 para cada um. De ônibus, gasta-se entre R$ 47,85 e R$ 76 (fretcar.com.br). A pegadinha é conseguir que o horário do coletivo combine com o do seu voo – algo difícil, já que são apenas três saídas diárias.

Chegue a Jeri na madrugada de quarta para quinta-feira para amanhecer no vilarejo e curtir uma manhã preguiçosa na praia principal. Combine com o bugueiro um passeio no fim da manhã para as Lagoas Azul e do Paraíso, mais próximas – alguns param na Pedra Furada na volta. Na sexta, saia cedo para as Lagoas Tatajuba e Torta, mais distantes, que vão demandar um dia inteiro de passeio. Assim que você se instala nos quiosques de Tatajuba, o garçom exibe na bandeja o peixe do dia. Peça logo para que a refeição chegue à mesa assim que a fome bater.

Com esse roteiro, você já terá matado o principal de Jeri – o sábado vira um curinga para o caso de o clima não ajudar ou, quem sabe, fazer uma aula de kitesurfe na Praia do Preá. Inclua em seu roteiro assistir ao pôr do sol sobre a duna homônima, um programa clássico, com direito a aplausos. /ADRIANA MOREIRA

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.