Todos os holofotes para Rússia e Catar

A Fifa elegeu, na semana passada, os dois países para serem sedes das Copas do Mundo de 2018 e 2022. Mas você pode aproveitar as inúmeras atrações de ambos desde já

Foto: NYT ,

08 Dezembro 2010 | 11h00

 

Pode começar a preparar o cofrinho desde já. As sedes para as Copas do Mundo de 2018 e 2022 foram definidas pela Fifa na última quinta-feira. Se, por um lado, Rússia e Catar (leia abaixo) terão de construir praticamente tudo para receber delegações e turistas, por outro quem acompanhar o evento nesses países vai encontrar aeroportos, estádios, hotéis e boa parte de sua infraestrutura tinindo.

 

A Rússia, responsável pelo evento de 2018, indicou 13 sedes - São Petersburgo e Moscou estão entre elas, como era de se esperar. Mas fique atento à ainda desconhecida Sochi. Antes da Copa, a cidade abrigará os Jogos de Inverno de 2014 e já vem recebendo investimentos pesados. Nas orelhas do Mar Negro, o balneário russo (sim, a cidade é ao mesmo tempo destino de praia e estação de esqui) está entre os lugares favoritos de férias do primeiro-ministro Vladimir Putin.

 

É possível que a Copa seja um bálsamo na vida do viajante independente. Afinal, mesmo nos principais destinos turísticos do país não é fácil encontrar pessoas que falem inglês - os moradores, aliás, não são conhecidos por sua simpatia. As placas, a maioria em alfabeto cirílico, tampouco ajudam. Com o megaevento, tais aspectos certamente serão melhorados.

 

Até lá, vai sobrar tempo para você montar seu roteiro. Não se preocupe com o visto: o documento deixou de ser exigido para brasileiros em maio deste ano.

 

Não é preciso dizer (mas vamos reforçar, mesmo assim) que seu tour em Moscou deve começar pela Praça Vermelha, para ver de perto a clássica foto com as torres da Catedral de São Basílico ao fundo. Mas um passeio de metrô pode revelar estações feitas com piso em mármore, paredes repletas de belos mosaicos e lustres que parecem saídos de um palácio.

 

O Kremlin, centro do poder no país, também vale a parada, assim como o Teatro Balé Bolshoi. Sem falar no Museu de Arte Moderna e no Museu do Estado. Enquanto o primeiro guarda uma rica coleção com obras de Kandinsky e Chagall, o segundo é fundamental para acompanhar a conturbada história russa. Já o aclamado Centro de Exibições é garantia de muitos de cliques.

 

 

Na cosmopolita São Petersburgo, o museu Hermitage e o Palácio de Inverno estão na lista das atrações indispensáveis. Mas reserve um dia para ir à vizinha Pushkin, onde está a pomposa residência de verão dos antigos czares: o Palácio de Catarina.

 

Veja também:

 

linkColorida e temperada

linkNas frutas, no sushi ou no chiclete, tudo pode ter chilli

linkUm dia entre as pirâmides

link‘Recuerdos’ e luxos para levar para casa

blog Siga o blog do Viagem

Mais conteúdo sobre:
ViagemRússiaCatar

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.