Divulgação
Divulgação

Todos os títulos para São Cristóvão

Primeira capital de Sergipe, quarta cidade mais antiga do Brasil - foi fundada em 1590 -, patrimônio histórico e artístico nacional. Com todos esses títulos, São Cristóvão é uma parada mais que obrigatória a 20 quilômetros de Aracaju.

Fernanda Yoneya, O Estado de S.Paulo

22 Setembro 2009 | 05h18

Para explorar com calma essa rica cidade, separe um bom tênis e se prepare para bater perna. O tour pode começar na Praça de São Francisco, onde dezenas de guias turísticos se oferecem para acompanhar os visitantes nas próximas paradas.

É na praça que estão a Igreja Nossa Senhora da Visitação, de 1607, e o Convento de São Francisco. Dentro do convento fica o famoso museu de arte sacra, um dos mais importantes do mundo, que hoje, infelizmente, está fechado para os turistas.

 

 

Veja também:

linkNordeste com alma, cor e história

linkPraias e uma cozinheira de mão cheia em Estância

linkPelos cânions do Velho Chico

linkHoras entre corujas e falcões

linkCenário do fim de Lampião

A voltinha a pé segue pela Praça Matriz. Não deixe de entrar na Matriz Nossa Senhora da Vitória, construída em 1608. Há, ainda, muitas outras igrejas espalhadas pelo centro antigo da cidade. Entre as atrações, veja o Museu Histórico de Sergipe, no antigo Palácio do Governo.

De qualquer rua, ladeira ou viela, saiba que a imagem do Cristo Redentor, de 16 metros de altura, acompanhará seu passeio.

Também é imprescindível saber que nenhuma visita a São Cristóvão fica completa sem os deliciosos briceletes, biscoitos fininhos e crocantes. O produto é vendido somente no Convento das Carmelitas, onde as freiras preparam a receita desde o século 16.

Os briceletes são feitos com farinha de trigo, leite, ovos, açúcar e raspas de limão e de laranja. O pacote com quatro unidades sai por R$ 2. Compre vários, mas tome cuidado para os quadradinhos não chegarem esfarelados no fim do passeio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.