Benoit Tessier/Reuters
Benoit Tessier/Reuters

Torre Eiffel reabre para o público após dois dias de greve dos funcionários

Administração vai testar novo esquema para acesso dos turistas para tentar diminuir tempo de espera nas filas

EFE

03 Agosto 2018 | 15h17

PARIS - Depois de dois dias fechada por conta de uma greve, a Torre Eiffel reabriu ao público nesta sexta-feira, 3, após um acordo entre a administração e funcionários sobre a forma como os turistas terão acesso ao monumento.

O novo método entrará em vigor a partir da próxima segunda-feira, em um período de testes até o dia 31, e consistirá na criação de duas filas em cada um dos dois acessos à torre: em cada lado, haverá uma prioridade para os visitantes que comprem seus bilhetes na internet e outra para aqueles que adquirirem na própria bilheteria.

Desde o início de julho, a porcentagem de bilhetes vendidos on-line, que permitiam a entrada em horários específicos, passou de 20% para 50%.

Um dos dois elevadores então foi reservado para o acesso desses visitantes, enquanto quem comprava na bilheteria deviam fazer fila no pilar que leva para outro elevador, sistema que aumentava o tempo de espera, segundo os funcionários.

Em comunicado, a sociedade de exploração da Torre Eiffel (Sete) disse que "o respeito pelo horário reservado pelo cliente será o principal critério de avaliação do dispositivo que ser testado" e que sua aplicação definitiva será discutida com os sindicatos no dia 31, em função dos resultados obtidos.

"A venda de bilhetes pela internet com data e hora é a única alavanca que permitirá a longo prazo diminuir as filas de acesso para a Torre Eiffel. Para alcançá-lo, planejamos um aumento progressivo dos bilhetes vendidos on-line", destacou a Sete.

A sociedade se desculpou pelos dois dias que o monumento esteve fechado e garantiu que os turistas que tinham comprado seu bilhete receberão automaticamente o reembolso total o mais rápido possível.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.