Três bairros concentram o agito

Em Adams Morgan, Dupont Circle e Georgetown, roteiro de bons restaurantes e animadas casas de jazz

Wilson Baldini Jr., O Estado de S.Paulo

20 Janeiro 2009 | 02h14

Nova York, Miami e Los Angeles são destinos óbvios quando se pensa em férias nos Estados Unidos. Uma lista que precisa ser revista e ampliada. Mesmo porque a política está longe de ditar sozinha o ritmo de Washington. E a cidade é, sim, movida a restaurantes e clubes de jazz capazes de proporcionar noites agradabilíssimas.   Veja também: Washington vive momentos de euforia. Na política e no turismo Você no palco de grandes decisões Acervos inacreditáveis - e gratuitos Diversão também para as crianças Para brincar de espião, policial ou jornalista por um dia Grifes e souvenirs para lotar a mala  Em Chicago, o lar do presidente  Tour para ver a vovó famosa    Boa parte do agito se concentra em três bairros - Georgetown, Dupont Circle e Adams Morgan -, mas há opções interessantes em outras regiões. Comece pela Vila Madalena de Washington, mais conhecida como Adams Morgan (sem o trânsito infernal, o que é ótimo).   O nome do barzinho ideal para sua primeira parada faz um trocadilho com o bairro. Trata-se do Madam's Organ (www.madamsorgan.com), no número 2.461 da 18th Street, o centro da balada. O jazz e o blues que saem do sobrado agradam quem entende de música. Chegue cedo, pois as 20 mesas costumam ser disputadas - as cadeiras são de madeira dura, mas ninguém reclama.   Madam's Organ. Uma das melhores pedidas para ouvir música: chegue cedo se quiser garantir uma mesa   Um Bill Clinton Burger (US$ 16 ou R$ 37) é uma boa pedida. Trata-se do tradicional hambúrguer americano com toque de humor. O cardápio garante desconto de US$ 1 para mulheres que tenham namorado o ex-presidente. Para mudar o ritmo, invista no Habana Village (www.habanavillage.com), com aulas de salsa e merengue a US$ 10 (R$ 23). O menu está recheado de comidinhas cubanas, com pratos principais a partir de US$ 12 (R$ 28 pela Roupa Velha) e petiscos começando em US$ 6 (R$ 14 pelo aipim frito). Georgetown Há quem não goste de balada em hotel, mas as noites de quinta-feira no Twist Georgetown Lounge, do Savoy Suites (www.savoysuites.com), merecem que você esqueça os dogmas. O bom jazz é garantido, mas o programa não dura muito. Começa às 19 e vai até as 22 horas, ou seja, chegue cedo. Celebridades, diplomatas e jornalistas se reúne no Cafe Milano (www.cafemilano.net), restaurante italiano com adega bem abastecida. Os mais tradicionais podem seguir para a Martin's Tavern (www.martins-tavern.com), frequentada por John e Jackie Kennedy. Para comer Fora do circuito Georgetown-Dupont Circle-Adams Morgan, o Zengo, na 7th Street, reúne o melhor da cozinha asiática e mexicana para um suculento jantar. A mescla é deliciosa, mas não muito barata. É verdade que as porções de taco são bastante generosas, mas a caipirinha pequena sai por azedos US$ 10 (R$ 46).   Zengo. Cardápio funde culinária asiática e mexicana a preços um tanto salgados Quem não tem restrições de orçamento deve experimentar o cardápio do Blue Duck Tavern (www.blueducktavern.com), na esquina da 24th com a M Street. O bife à parmegiana e a costela, por exemplo, desmancham no prato - talvez o motivo para as 25 mesas da casa serem tão concorridas. Cada pessoa deixa de US$ 75 (R$ 175) a US$ 100 (R$ 233) pelo jantar. No almoço, fique no Oya (www.oyadc.com), na 9th Street. Os pratos, que vão de grandes bifes de 250 gramas a comida japonesa, custam US$ 18 (R$ 42). Ah... e, a qualquer momento, faça uma degustação de cerveja naCapitol City Brewing Company (www.capcitybrew.com), com unidades em Capital Hill e em Downtown.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.