Tribos e cavernas na cidade dos baobás

Cercada por Botsuana, Zimbábue e Moçambique, Polokwane, na Província de Limpopo, tem a localização perfeita para turistas que querem explorar países vizinhos e outras culturas. Conhecida como a cidade dos baobás, maior árvore do continente e símbolo da África do Sul, também é a terra das cavernas misteriosas e dos povos Venda, Bakone e Ndebele.

Ana Paula Galli, Especial para O Estado

15 Dezembro 2009 | 02h13

Polokwane é a terra das árvores gigantescas

e do artesanato dos povos nativos

Uma das principais tribos, os Vendas podem ser visitados nas áreas rurais perto da Floresta Thathe Vondo, considerada solo sagrado pelos nativos. Vale dar uma boa parada no tranquilo Lago Fundudzi, orgulho dos moradores da região.

Na aldeia Ndebele (www.ndebelevillage.co.za), o destaque é a arte. Eles fazem incríveis esculturas de girafas decoradas com figuras geométricas. As mulheres do povoado - que usam argolas pesadas no pescoço, nas pernas e nos braços - levam o crédito pelas pinturas coloridas nas paredes das casas. O artesanato também é forte: fazem colares e ornamentos de miçangas, igualmente coloridíssimos. A técnica consome tempo. Sem falar que exige destreza e olhos de lince.

Para saber mais da história da cidade, convém visitar Bakone Malapa Northern Sotho (www.limpopotourism.org.za), museu a céu aberto em homenagem ao povo Bakone, principal tribo do lugar.

VEJA TAMBÉM:
Com vocês, a seleção titular
Roteiro canarinho
Jo\'burg, a São Paulo deles
Praia no resort e aventura na savana
\'Inglesa do interior\' vai virar megalópole
Nelspruit é a portaria do safári
Mar e sol? Vá para Durban
Bloemfontein, pit stop seguro

História e lazer em Port Elizabeth

 

Cidade do Cabo e da esperança

Deliciosa rota dos vinhos
Kruger, um exagero
Aproveite para dar uma esticadinha

 

Outra atração para quem quer saber mais sobre a região é o Museu Polokwane, instalado na histórica Irish House. Com exposições permanentes e temporárias, lá é possível ver artefatos desde a Idade da Pedra até os tempos atuais. À noite, o principal programa é o Meropa Casino (www.suninternational.com), a cinco quilômetros da cidade.

Se o objetivo é aventura, pode ficar tranquilo. Diversas agências de turismo oferecem excursões para as trilhas da Reserva Polokwane, tudo a bordo de carros quatro por quatro.

 

ONDE FICAR

Localizado no subúrbio da cidade, a calmaria é a principal característica do Imagine Luxury Accommodation. Há diárias a partir de R$ 140 (www.imagineluxacc.co.za). Mais em conta, o Eskulaap Park Hotel, também no subúrbio da cidade, oferece chalés a partir de R$ 60 (www.eskulaap.co.za).

Para o turista que quer luxo de verdade, uma das opções é o Fusion Boutique Hotel, no centro de Polokwane. Trata-se de um cinco-estrelas, com quartos bem decorados e serviço requintado. Diárias custam a partir de R$ 390 (www.fusionboutiquehotel.co.za).

 

COMPRAS

O principal centro de compras de Polokwane é o Savannah Mall. De fácil acesso, o shopping está localizado na zona central. Com 65 lojas de marcas nacionais e grifes de luxo, além de sete restaurantes e diversos bancos, o Savannah é onde fica o único cinema da cidade.

 

MUST SEE

A principal atração natural dos arredores de Polokwane são as Cavernas de Makapan, em Mokopane, a 50 quilômetros da cidade. A Hearths, ou Caverna das Lareiras, está repleta de alguns dos mais antigos fósseis do planeta e a Gwasa serviu de refúgio para sobreviventes de diversos conflitos. São repletas de história para contar. Para explorá-las, é preciso agendar com antecedência na Associação Turística da Comunidade de Mogalakwena Bushveld.

Depois, quem quiser relaxar em alto estilo pode ir a um dos mais luxuosos spas da região. Fica no Sediba Game Lodge, na Reserva Natural Welgevonden, na Província de Limpopo. O centro de beleza oferece diversos tipos de tratamentos estéticos e de saúde. Entre eles aromaterapia, cuidado facial e massagens. Os tratamentos custam a partir de US$ 60 (www.sediba.com).

 

ESTÁDIO

O Peter Mokaba, que leva o nome de um dos grandes ativistas sul-africanos na luta contra o apartheid, receberá os jogos dos grupos A, B, C e F.

A arena é inspirada no baobá, com troncos de concreto no lugar das quatro colunas de sustentação. No estádio, que tem capacidade para 46 mil torcedores, serão realizadas quatro partidas. ANA PAULA GALLI

Polokwane: www.polokwane.org.za

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.